Golo solitário de Silvestre Varela garante vitória do FC Porto no Dragão

0
71
Golo solitário de Silvestre Varela

Golo solitário de Silvestre VarelaO FC Porto venceu o Rio Ave, por 1-0, com um golo de Varela, aos 7 minutos, numa partida da 18.ª jornada da Liga em que esteve longe de satisfazer os adeptos, que pediam mais futebol ao “dragão”.

 Líderes invictos, os portistas, com poucas oportunidades de golo, regressaram às vitórias – demonstrando que a Liga é mesmo outro campeonato – depois do empate com o Gil Vicente (2-2), parra a Taça da Liga, e a derrota com o Benfica (2-0), para a Taça de Portugal.
 Apesar de menos conseguida, a exibição foi suficiente para o FC Porto manter o percurso 100 por cento vitorioso no Estádio do Dragão, onde soma 11 vitórias em jogos do campeonato.

 Com Rúben Micael no lugar do castigado Belluschi, o FC Porto chegou cedo à vantagem através de um golo de Varela (1-0), aos 7 minutos, na sequência de um cruzamento milimétrico de Sapunaru a passe de James.
 O golo dos “dragões” surgiu dois minutos após o Rio Ave ter criado uma oportunidade para marcar, por João Tomás, após livre de Vítor Gomes, mas que Otamendi, a ocupar o lugar de Maicon no eixo da defesa, evitou.
 James, apostado em retribuir a confiança que André Villas-Boas deposita em si, colocou à prova os reflexos do guarda-redes Paulo Santos com um remate cruzado, aos 17 minutos, para na recarga Rúben Micael atirar por cima.

 O mesmo James, muito dinâmico, com sucessivas trocas de posição com Hulk e Varela, voltou a criar perigo aos 19 minutos, tendo uma vez mais o guarda-redes vila-condense resolvido para canto.
 O Rio Ave passou por um período de verdadeiro sufoco, devido à pressão exercida pelo FC Porto, e só aos 36 minutos conseguiu voltar a chegar à área de Helton, atra-vés de um centro de Vítor Gomes sem seguimento.
 A cinco minutos do intervalo, e após alguns períodos de palmas, ouviram-se os primeiros assobios no Dragão, fruto do descontentamento pela toada morna em que o jogo do FC Porto, entretanto, tinha caído.

 O Rio Ave, com Wires no lugar do “trinco” Ricardo Chaves, surgiu mais ofensivo e atrevido no início da segunda parte, em que dispôs de dois cantos nos primeiros minutos, mas sem causar problemas a Helton.
 O encontro passou por uma toada de equilíbrio e com as situações de relativo perigo a nascerem na sequência de lances de bola parada, no caso do FC Porto, quase sempre cobrados por Hulk e James.

 Wires, aos 74 minutos, e Tarantini, aos 77, procuraram surpreender Helton com remates de longe, mas a errar o alvo, e ainda antes do final do jogo foi a vez de Guarin desperdiçar, frente a Paulo Santos, a oportunidade para fazer o segundo golo.

FICHA DE JOGO:
 Encontro no Estádio do Dragão.
 Resultado:
 FC Porto – Rio Ave, 1-0.
 Ao intervalo: 1-0.
 Marcador:
 1-0, Varela, 7 minutos.
 Equipas:
  FC Porto: Helton, Sapunaru, Rolando, Otamendi, Sereno (Fucile, 76), Fernando, João Moutinho, Rúben Micael (Guarin, 76), Varela (Mariano, 82), Hulk e James.
 Rio Ave: Paulo Santos, José Gomes, Gaspar, Jeferson, Tiago Pinto, Ricardo Chaves (Wires, 46), Tarantini, Vítor Gomes, Bruno Gama (Saulo, 69), Yazalde e João Tomás (Júlio Alves, 85).
 Árbitro: Vasco Santos, da AF Porto.
 Ação disciplinar: cartão amarelo para João Tomás (39), Sapunaru (42), Tiago Pinto (43), Ruben Micael (53), Jeferson (61 e 85), José Gomes (68) e Fernando (74). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Jeferson (85).
 Assistência: 29.417 espectadores.