Fraude informática retira 42 milhões de randes do Banco Postal durante a passagem de ano

0
109
Fraude informática retira 42 milhões de randes do Banco Postal durante a passagem de ano

A Agência Nacional de Inteligência (NIA) e a polícia da África do Sul estão a investigar uma fraude que teria causado um rombo de 42 milhões de randes ao Banco Postal, que opera junto ao serviço dos correios. Os criminosos teriam obtido acesso ao sistema do banco e realizado desvios para contas fraudulentas. Os saques foram efectuados durante os três dias do intervalo de férias da passagem de ano.

 De acordo com o jornal “Sunday Times”, os criminosos teriam conhecimento sobre os sistemas internos do banco postal. Um computador de um funcionário também dos correios teria sido comprometido e controlado pelos “hackers”.

 No final de 2011, os criminosos abriram várias contas bancárias fraudulentas para receber o dinheiro desviado. Quando o intervalo de ano novo começou, os criminosos teriam feito o acesso ao sistema do banco e injectado fundos  que tranferiram para as suas contas. Em seguida, começaram os saques, que aconteceram em caixas electrónicas de pelo menos três províncias diferentes do país.
 Os saques pararam poucas horas antes do período de férias terminar. Nesse ponto, os 42 milhões de randes já haviam sido sacados. O banco afirmou que nenhum de seus clientes teve alterações em suas contas devido ao ataque.

 A notícia da invasão, segundo o “Sunday Times”, ocorre em um momento em que o banco está em busca de autonomia para oferecer seus serviços e concorrer com instituições financeiras privadas no país.
 A ministra das Comunicações, Dina Pule, declarou que a Polícia está a investigar os sistemas de segurança e detenção de fraude. Revelou que o director-geral do Ministério, Rose Sekeze, e o subdirector geral das Finanças, Sam Vilakazi, foram incluídos na equipa de verificação, para a qual também foi nomeada a firma de auditoria KPGM. Espera-se que as respectivas conclusões estejam prontas em Março próximo.

 O brigadeiro Thulani Ngobane, da South African Police Service, disse que “em breve vão ser detidas várias pessoas implicadas nestes caso”. A SABRIC/South African Banking Risk Information está a colaborar com os detectives.