Fortificações de Elvas classificadas como Património Mundial

0
50
Fortificações de Elvas classificadas como Património Mundial

A maior fortificação abaluartada do mundo, em Elvas, foi classificada sábado como Pa-trimónio Mundial, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), revelou à Agência Lusa fonte do município.

* Classificação de Elvas reflecte respeito que Portugal tem pela defesa do património

 O presidente da Comissão Nacional da UNESCO, António Almeida Ribeiro, afirmou que a classificação das fortificações de Elvas como Património Mundial é um sucesso para Portugal e reflecte o respeito nacional pelos monumentos.
 “É um sucesso para Portugal, é um sucesso para Elvas e é um reflexo do respeito que Portugal tem, em termos internacionais, em matéria de defesa do seu património”, disse à Lusa o presidente da estrutura nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).
 António Almeida Ribeiro realçou que Portugal passa a ter 14 bens classificados como Património Mundial, “um número muito significativo” dada a dimensão do país, o que sublinha a importância e valorização atribuída a esse mesmo edificado.
 “No caso de Elvas é um processo que tem, apesar de tudo, pouco tempo de apresentação, o que revela ainda mais a importância que tem em termos de Património Mundial”, afirmou o embaixador, lembrando que são várias as propostas apresentadas à UNESCO que têm passado diversos anos em discussão.

 O presidente da Comissão Nacional da UNESCO referiu que o comité daquela organização apreciou não só as observações do Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios, mas também as me-didas tomadas pela Câmara Municipal de Elvas, o que le-vou a que a classificação como Património Mundial fosse unânime.
 As fortificações de Elvas foram classificadas, na categoria de bens culturais, ao início da tarde de sábado na 36.ª sessão do Comité do Património Mundial, que está reunido até 6 de julho, em São Petersburgo, na Rússia.
 O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, saudou a classificação pela UNESCO da fortificação de Elvas e elogiou o “trabalho diplomático de alta qualidade” do Estado português.
 “Elvas triunfou com um forte consenso e ultrapassando dú-vidas do comité de património da UNESCO. Isso significa que Portugal fez um trabalho diplomático de alta qualidade, demonstrando, país a país, voto a voto, os méritos da candidatura", afirma Paulo Portas.
 O conjunto de fortificações de Elvas, cuja fundação remonta ao reinado de D. Sancho II, é o maior do mundo na tipologia de fortificações abaluartadas terrestres, possuindo um perímetro de oito a dez quilómetros e uma área de 300 hectares.
 As fortificações de Elvas constituíam o único monumento português entre os 33 candidatos que fazem parte da lista de Património Mundial, elaborada pela Unesco.