Filial da Liga da Mulher no Cabo reivindica acção pioneira no conceito da Universidade Sénior

0
155
Filial da Liga da Mulher

Filial da Liga da MulherNa celebração do XIX Aniversário da filial da Liga da Mulher Portuguesa no Cabo, a respectiva presidente, conselheira das Comunidades Lígia Fernandes, fez uma intervenção alusiva onde começou por afirmar que “a Liga da Mulher Portuguesa na Cidade do  Cabo é autónoma, mas somos uma filial da Liga da Mulher Portuguesa na África do Sul com sede em Pretória.

Há projectos iniciados em Pretória e Joanesburgo que só nos chega muito mais tarde, e quando chega. A comunidade da província de Gauteng tem outra maneira de ser.
 Portanto nós, um pouco mais a Sul, do continente africano, tratamos de fazer pelo melhor, dentro do possível, para que esta organização continue, siga em frente para o enriquecimento, e bem estar desta comunidade, e assim será num, futuro mais próximo.

HÁ AQUI UMA SEMELHANÇA AO REGIME DA ILHA DA MADEIRA, PORTUGAL?

 Em Março de 2009, a Liga da Mulher Portuguesa na África do Sul arrancou com um projecto, a Universidade Sénior da Boa Esperança, coordenado pela Manuela Rosa. O objectivo deste projecto é o desenvolvimento da parte cultural da Liga, é mais abrangente por estar aberto a homens e mulheres. A maioria dos membros da Liga está numa etapa da vida que tem que manter a mente activa e assim prevenir certas doenças. Se a massa cinzenta pára vira em granito”.

PROJECTO DIRIGIDO À COMUNIDADE LUSÓFONA

 Em seguida a oradora leu a apresentação do projecto, enviada pela coordenadora Manuela Rosa:
 A Universidade Sénior Boa Esperança, um projecto dirigido à comunidade lusófona promovido pela Liga da Mulher Portuguesa na África do Sul, é a primeira Universidade Sénior Portuguesa, fora de Portugal.
 Propõe-se dinamizar regularmente actividades sociais, culturais, educacionais e de convívio. Está aberta a homens e mulheres lusófonos, independentemente das suas qualificações literárias.

 As classes etárias da comunidade portuguesa na África do Sul têm-se alterado ao longo dos tempos. A comunidade imigrante da 1.ª geração, constituída por jovens está hoje envelhecida numa nova etapa da sua vida. A Universida-de Sénior em Língua Portuguesa pretende ser um estímulo pessoal, cultural e intelectual e ao mesmo tempo prevenir o desinteresse e o isolamento e fomentar a esperança, o amor próprio e a confiança em si mesmo.
 Esta Universidade oferece um leque de cursos, visitas de estudo e excursões à escolha, segundo a disponibilidade dos professores voluntários. Alguns dos cursos propostos são informática, saúde, ginástica, golfe e outros desportos, língua e cultura portuguesa, francesa e outras, culinária, doçaria, enologia, bordados, pinturas, desenho, fotografia, danças de salão, teatro, medicina natural, educação física, etc.
 O membro da Universidade pode realizar um desejo antigo de aprender alguma coisa para a qual antes não tinha disponibilidade, ou partilhar a sua experiência, os seus conhecimentos e talentos contribuindo para o enriquecimento da comunidade.

 Os  cursos  serão  realizados na sede da Liga em Pretória, na ACPP e noutros locais oferecidos pelas associações ou outras organizações, que permitam uma melhor acessibilidade aos alunos e professores.
 Não tem fins lucrativos. Não há exames, mas sim um acompanhamento contínuo. Basta ter vontade de aprender e querer conviver com outras pessoas.

INDISPENSÁVEL FAZER UMA SONDAGEM

 A oradora, Lígia Fernandes,  referiu depois de ler a apresentação enviada por Manuela Rosa, que “para iniciar um ramo desta universidade é necessário fazer uma sondagem primeiro, pois então veremos se este projecto poderá ser implementado nesta cidade”.
 Observou depois que “a Liga continuará com as suas actividades de convívio e bem fazer, tentando sempre apresentar aos seus membros assuntos informativos e de interesse, e lá de anos a anos haverá um Congresso Nacional, o próximo está previsto para ser realizado na Cidade do Cabo.

 Não me surpreendeu nada quando vi o nome da Universiadde “Boa Esperança”. Pois foi a filial do Cabo que começou com as aulas de pintura em tecido, com o ensino do Português falado, com as demonstrações de culinária, estabeleceu a biblioteca de livros portugueses e encorajou a Leitura em Português e a escrita criativa.
 Pois foi a Liga da Mulher Portuguesa no Cabo da Boa Esperança” que foi a pioneira desta Universidade Sénior da Boa Esperança.