Festival de Cinema Português no Reino Unido lança competição de curtas-metragens para jovens realizadores lusófonos

0
132

O Utopia, Festival de Cinema Português no Reino Unido, abriu uma competição de curtas-metragens para jovens realizadores lusófonos e vai tentar aproveitar o facto de este ano se realizar ‘online’, para conquistar novos públicos.

  A competição internacional destina-se a “estudantes de imagem em movimento” em qualquer dos países de língua portuguesa que tenham realizado filmes até 15 minutos entre 2017 e 2020, sendo o vencedor premiado com 350 euros.

  “Acreditamos que o prémio contribuirá para a criação de um diálogo entre os países de expressão oficial portuguesa, divulgando o trabalho dos estudantes, dos estabelecimentos de ensino, ajudando uns e outros a uma tomada de consciência em relação ao que se faz”, disse a directora, Érica Rodrigues.

  Os dez finalistas seleccionadas por um júri internacional serão exibidas durante o festival.

  O prémio tem o nome de Noémia Delgado, em homenagem à realizadora de cinema e televisão e artista plástica, “com um trabalho importante, que precisa de ser resgatado para a nossa memória coletiva”.

  “Pertenceu à primeira leva de mulheres pioneiras na realização, que desenvolveu o seu trabalho logo a seguir à revolução de Abril. No entanto, o seu legado encontra-se esquecido por muitos”, lamentou a responsável.

  Nome associado ao Cinema Novo português, nos anos de 1960/1970, Noémia Delgado foi realizadora de documentários como “Máscaras”, obra pioneira na abordagem etnográfica, em Portugal, e “Quem Foste, Alvarez”, sobre o artista Dominguez Alvarez, tendo também trabalhado com cineastas como Paulo Rocha, Manoel de Oliveira e Thomas Harlan. No início dos anos de 1970, trabalhou em Paris como assistente do realizador e etnólogo Jean Rouch, nome de referência do chamado ‘cinema verdade’.

  A 11.ª edição do Festival de Cinema Português no Reino Unido vai realizar-se entre 21 e 28 de Novembro, com sessões transmitidas exclusivamente pela Internet devido às restrições em vigor no Reino Unido, por causa da pandemia covid-19.

  Porém, a organização acredita que este formato poderá possibilitar uma expansão do público, porque pode chegar a pessoas em qualquer parte do mundo.