Festa da Flor no Funchal com participação de carro alegórico da África do Sul

0
75
Festa da Flor no Funchal com participação de carro alegórico da África do Sul

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, disse na semana passada no Funchal que o turismo com 90% de ocupação, a animação de rua e o tempo magnífico são a ex-pressão da "Madeira no seu melhor" durante a Festa da Flor.

 "Estou muito satisfeito e para o ano vamos aumentar para quatro semanas a Festa da Flor", adiantou.

 Milhares de pessoas, entre madeirenses e turistas, concentraram-se domingo na marginal da cidade do Funchal para ver passar o cortejo alegórico da Festa da Flor.

 O Governo Regional da Madeira investiu 422 mil euros na organização da Festa da Flor/2017, evento que começou na quinta-feira, dia 4, e que se prolonga até ao dia 21 de Maio, período durante o qual, segundo o executivo, a taxa de ocupação hoteleira rondará os 90%.

 Segundo o secretário regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, no primeiro fim de semana a taxa de ocupação hoteleira prevista é de 93%, no segundo de 86% e no último 91%, de acordo com uma consulta efetuada juntos dos hotéis no dia 18 de abril.

 O evento – um dos maiores cartazes turísticos da Madeira – promove diversas atividades culturais, com incidência na cidade do Funchal, sendo marcado por três pontos altos: a Construção do Muro da Esperança, o Cortejo Alegórico da Flor e o Desfile de Car-ros Clássicos.

 A organização da Festa da Flor envolve 3.500 pessoas, das quais 1.400 participaram no cortejo alegórico, onde  desfilaram dez grupos, incluindo um oriundo de Free State, África do Sul.

 A Festa da Flor, por ser um evento que faz parte do calendário anual de animação turística e um dos principais cartazes turísticos da Região Autónoma da Madeira, é apoiada pelo Governo Regional com 232.254 euros (55% do total da verba atribuída ao evento) para os onze projectos participantes.

 A Associação de Animação Geringonça (com o tema "Encanto das Flores"); Maria Isa-bel Borges ("Dreamland"); As-sociação Cultural Império da Ilha ("Os jardins da Império"); Associação ANIMAD ("Gloss de Primavera"); João Egídio ("Madeira, uma flor de flores"); Graziela Martins ("Flores de Sonho); João Nunes Atanázio ("Madeira, ilha das flores"); Escola de Samba Caneca Furada ("Madeira florida"); Associação Fura Samba ("Jardins, a beleza dos sonhos") e João Mendes ("Borboletas de sonho") foram os grupos e os projectos participantes no cortejo alegórico do penúltimo domingo.

 Ontem, dia 14 de maio, teve lugar o "Madeira auto parade – 2017", organizado pela Associação The Classic Motor Exhibition – ACME.

 A origem da Festa da Flor remonta a 1954, quando o Ateneu Comercial do Funchal realizou a Festa da Rosa, mas, em 1979, a Direcção Regional de Turismo decidiu trazê-la para a rua com o figurino que, no essencial, ainda se mantém – Muro da Esperança; Cortejo Alegórico, concursos e tapetes florais e animação musical.

 

* Governo da Madeira quer alargar a Festa da Flor a 4 semanas no próximo ano

 

 O Governo Regional da Madeira pretende alargar a Festa da Flor a quatro semanas a partir do próximo ano, para "tirar a máxima rentabilidade" daquele que é o maior cartaz turístico da região, anunciou o chefe do executivo.

 Miguel Albuquerque falava na abertura oficial da edição de 2017 do certame.

 "Estamos com uma grande expectativa relativamente ao retorno do investimento que fizemos nesta Festa da Flor", disse, vincando que o mercado "correspondeu àquilo que pretendíamos".

 Por isso, o objectivo do executivo é alargar o evento a quatro semanas já a partir de 2018.

Este ano, pela primeira vez, o Observatório do Turismo da Universidade da Madeira vai avaliar o impacto económico real deste cartaz turístico, que actualmente supera as festividades de Natal e fim de ano.

 Miguel Albuquerque realçou que é fundamental tirar a "máxima rentabilidade" do evento, que, no entanto, é feito com recurso a uma grande percentagem de flores importadas, pois a produção regional é insuficiente para o suportar.