FC Porto vence Paços de Ferreira e segura liderança com Benfica

0
53
FC Porto vence Paços de Ferreira e segura liderança com Benfica

FC Porto vence Paços de Ferreira e segura liderança com BenficaO FC Porto recebeu e venceu o Paços de Ferreira por 3-0, com golos de Melgarejo (na própria baliza) aos 45, Kléber aos 64 e João Moutinho aos 84 minutos. Apesar de uma primeira parte muito fraca, a formação portista segura a liderança à condição. Esta partida é relativa à 9ª jornada da Liga Zon/Sagres.

 A vitória portista ficou marcada pelo momento da substituição de Hulk, protagonista da pior exibição desde que chegou ao FC Porto, numa decisão de Vítor Pereira que ar-rancou aplausos da bancada e um enorme coro de assobios para o avançado brasi-leiro.
 Com a ousada decisão, substituindo aquele que costuma ser o "herói" dos adeptos, Ví-tor Pereira "ganhou" a equipa, tanto no sentido do jogo coletivo, como mostrando a todos que, afinal, não há intocáveis no plantel.

  O técnico portista apostou no mesmo "onze" que goleou (5-0) o Nacional, cinco dias antes, mas esse colectivo foi protagonista de uma primeira parte de grande nervosismo e algumas debilidades no seu sector recuado.
 Uma das quais podia ter sido fatal, quando Sapunaru, aos 33 minutos, permitiu que Melgarejo ganhasse uma bola no seu raio de ação, mas o avançado paraguaio (recentemente chamado à seleção do seu país) falhou o alvo por centímetros, após remate de ângulo já muito apertado.

 Foi mesmo a equipa do Paços de Ferreira, que também repetiu o "onze" que bateu a Académica na jornada anterior, a criar a primeira jogada de perigo quando, aos quatro minutos, William rematou já dentro da área, mas de forma defeituosa.

 Os "dragões" só conseguiram a sua primeira oportunidade aos 23 minutos, quando Varela rematou de surpresa, da direita do seu ataque, mas Cássio conseguiu desviar para a barra.
 Os nervos dos anfitriões resultavam, então, em inúmeros passes errados e hesitações ofensivas que permitiam aos pacenses defender-se de forma organizada e mais tranquila do que o esperado.

 Até que, a poucos segundos do intervalo, na única triangulação bem gizada entre Hulk e Álvaro Pereira, o lateral uruguaio cruzou de forma tensa, para Luisinho desviar contra as pernas de Melgarejo, inaugurando o marcador.
 A vantagem ao intervalo não livrou, porém, a equipa da casa de uma valente assobiadela, tal como havia acontecido a espaços no primeiro período, nomeadamente com dois "brindes" do género a Hulk, por duas perdas infantis no ataque.
 No reatamento, Vítor Pereira trocou o belga Defour por João Moutinho e a equipa ganhou profundidade ofensiva. Dez minutos depois, fez entrar Kléber para o lugar de Walter, que minutos antes não conseguiu dar a melhor sequência a um cruzamento "letal" de Varela, quando des-viou por cima da barra, a poucos metros da linha de golo.

 Com o jogo em toada morna e com o Paços a tentar subir no terreno, o técnico portista entendeu que a noite não era de Hulk e substituiu-o por James Rodriguez, arrancando aplausos da bancada.
  A verdade é que, sem Hulk, os "dragões" ganharam velocidade, trocando melhor a bola, e o segundo golo apareceu com naturalidade, aos 64 minutos, por intermédio de Kléber. Mais incisivos e poderosos na posse e troca de bola, os "dragões" voltaram a marcar aos 84 minutos, através de um potente remate de João Moutinho, já no cora-ção da área, após entendimento entre Álvaro Pereira e Kléber.