FC Porto vence Belenenses com o regresso de Hulk

0
72
FC Porto

FC Porto O FC Porto aproximou-se  do Sporting de Braga, segundo classificado, ao vencer o Belenenses por 3-0, no encontro que encerrou a 24.ª jornada da Liga portuguesa de futebol, marcado pelo regresso de Hulk.

 Depois da derrota do Sporting de Braga frente ao Benfica, no sábado, os portistas não desperdiçaram a oportunidade de se aproximarem do segundo lugar, reduzindo para cinco pontos a diferença para os minhotos e mantendo os 11 para o líder.
 Os golos de Rolando, na primeira parte, e de Hulk (o melhor jogador em campo, com duas assistências e um golo), a abrir a segunda, deitaram por terra as cada vez mais ténues esperanças Belenenses de continuar na primeira Liga, quando faltam seis jornadas para o fim e a linha de água já está a nove pontos.

 No terceiro encontro da época entre os dois conjuntos “azuis”, depois do empate 1-1 na primeira volta da Liga e do 2-2 para a Taça de Portugal (os portistas venceriam por 10-9 nas grandes penalidades), os dois treinadores reservaram algumas alterações nos “onzes”.
 Os “dragões” entraram em campo com três alterações em relação ao encontro que ditou o triunfo sobre o Rio Ave (3-1), a meio da semana, a contar para a primeira mão das meias finais da Taça de Portugal, tendo Jesualdo Ferreira chamado Helton e Miguel Lopes para o “onze” inicial.
 No entanto, o maior destaque entre as alterações foi o regresso do brasileiro Hulk, depois de ter sido castigado pelos incidentes ocorridos no Estádio da Luz, em Dezembro passado (perdeu nove encontros da Liga) e após ter visto, esta semana, reduzida a pena pelo Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

 Quanto à formação do Restelo, António Conceição apenas fez regressar o panamense Gabriel Gomez, na única alteração em relação à equipa que conquistou a segunda vitória na Liga, na jornada anterior, frente ao Olhanense (3-1).
 Os primeiros minutos da partida mostraram Hulk como o principal desequilibrador da equipa portista, que, privada de três alas (Varela, Mariano e Rodríguez), não tinha acutilância pelos flancos, especialmente na esquerda, onde apenas Álvaro Pereira tentava dar profundidade, apoiado por Raul Meireles.
 Já o Belenenses procurava defender com bloco baixo, tapando linhas aos “dragões” e deixava o ataque entregue à força de Yontcha e à velocidade de Lima, tendo acabado por ser o avançado brasileiro a criar o primeiro grande momento do jogo, ficando perto de inaugurar o marcador.
 Com Rúben Micael e Raul Meireles a pisarem os mesmos terrenos e com Falcao muito desapoiado, o jogo do FC Porto consistia em lançamentos longos nas costas da defesa belenense, procurando ora a velocidade de Hulk, ora as rupturas de Micael ou Meireles.

Já perto do final da primeira parte, e depois de Helton quase entregar o “ouro ao bandido”, o central Rolando faria uma desfeita à sua ex-equipa e inaugurava o marcador, respondendo de cabeça a um livre de Hulk, ficando, no entanto, a sensação que Bruno Vale é mal batido.
 Depois de uma primeira parte algo cinzenta, foi nítida a subida de produção dos “dragões” na segunda parte, sucedendo-se as oportunidades, e seria Hulk, depois de boa iniciativa individual, a carimbar o seu regresso aos jogos da Liga com uma “bomba” à entrada da área, sem hipóteses para o guardião belenense.
 O tento do brasileiro acabou por abater o Belenenses, que, sem ideias e sem qualidade, apenas se limitou a ver os portistas mandarem no jogo até final, com Falcao, assistido por Hulk, a fazer o 18.º golo na competição e a colocar um ponto final na partida do jogo realizado no Estádio do Restelo, em Lisboa.

 Um bom regresso do brasileiro à equipa dos “dragões” depois de longa suspensão a que esteve sugeito após os incidentes no túnel da Luz. De recordar que o Benfica venceu esse encontro pela margem de 1-0

FICHA DE JOGO:
  Belenenses – FC Porto, 0-3.
 Ao intervalo: 0-1.
Marcadores: 0-1, Rolando, 40 minutos;  0-2, Hulk, 51;  0-3, Falcao, 83.
Belenenses: Bruno Vale, Mano, Mustafa, Marcos António, Tiago Gomes (Fajardo, 46), Barge (André Almeida, 62), Gabriel Gomez, Celestino, Miguelito, Lima e Yontcha (José Pedro, 54).
FC Porto: Helton, Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves, Álvaro Pereira, Fernando, Guarín, Raul Meireles (Belluschi, 65), Ruben Micael (Valeri, 86), Hulk e Falcao.
 Árbitro: Paulo Baptista (Portalegre).