FC Porto sem esforço vence Belenenses e mantém a perseguição ao líder Benfica

0
125
FC Porto sem esforço vence Belenenses e mantém a perseguição ao líder Benfica

Um FC Porto a cumprir “serviços mínimos” bastou para vencer um inofensivo Bele-nenses, por curto 3-0, mantendo-se a seis pontos do líder Benfica, cumpridas 16 jornadas na I Liga de futebol.

 Jackson Martinez (10), Óliver Torres (47) e Evandro (90+3) fizeram os golos do Dragão, em noite tranquila perante um Belenenses de corpo presente e que esteve longe de justificar o sexto lugar com que iniciou a jornada, a par do Rio Ave.

 Com o triunfo do Benfica 3-0 sobre o Vitória de Guimarães, o FC Porto vai aumentar o fosso para o terceiro lugar: tinha mais três pontos do que os minhotos, que têm mais um ponto do que o Sporting e três que o Sporting de Braga.

 Naturalmente, o FC Porto assumiu as despesas do jogo, que, salvo raras excepções, teve sentido único: Jackson “ameaçou” aos oito e dois minutos depois, sem dificulda-de, cabeceou para o 1-0, agradecendo o trabalho individual de Óliver Torres.

 Eram minutos de sufoco, que, ainda assim, não eram correspondidos em situações de real perigo: excepções para o cabeceamento de Maicon (35), numa altura de ritmo muito morno.

 O Belenenses raramente ousava circular a bola no meio campo ofensivo e ainda me-nos vezes se aproximava da área do tranquilíssimo Fabiano – seria igual na etapa complementar.

 Na melhor situação para ampliar, Quaresma (39) cruzou de trivela e Jackson Martinez, ao segundo poste, rematou em “tesoura”, mas a bola saiu cruzada e ligeiramente ao lado.

 A falta de eficácia foi compensada logo no reatamento, com Óliver Torres (47) a aproveitar a passividade da defesa contrária para atirar a contar, à entrada da área.

 Aparentemente mais do que resolvido o “problema” Belenenses, o FC Porto foi displicente, errou muitos mais passes, jogou em ritmo de passeio e não ajudou os ade-ptos a enfrentar a noite gelada.

 Perante um Belenenses sem argumentos, e que agradecia resultado tão escasso, o conjunto de Julen Lopetegui podia ter ampliado em remate de Tello (69), que Ventura defendeu instintivamente, com o esférico a bater ainda na trave, e no canto correspondente, com Indi, sem oposição, a cabecear por cima.

 Depois de Camará (90+2) ter visto Maicon negar-lhe o golo, na resposta, Evandro fez o 3-0 final.