FC Porto reforça-se com Corona e Layun enquanto Benfica mantém Gaitán

0
58
Sport

O FC Porto foi o clube português mais activo no último dia do mercado de transferências de Verão, na segunda-feira, ao reforçar-se com os mexicanos Jesús Corona e Miguel Layun.

 Enquanto Benfica e Sporting não apresentaram novidades de última hora, mas também não perderam nenhum jogador, nomeadamente Gaitán e Carrillo, respectivamente. O FC Porto viu chegar dois jogadores candidatos ao ‘onze’. Corona, proveniente do Twente, custou 10,5 milhões, num contrato de cinco anos, e vai lutar por ser dos extremos titulares, enquanto Layún, que chega por empréstimo do Watford, mas com opção de compra por seis milhões, é candidato a ser o substituto de Alex Sandro como lateral esquerdo.

 Os “dragões” fizeram chegar mais dois reforços, depois de Casillas, Maxi Pereira, Imbula, Bueno, André André e Danilo Pereira, e “despacharam” cinco jogadores que não entra-vam nas contas do treinador espanhol Julen Lopetegui. Ricardo Pereira (Nice), Rolando (Marselha) e Quintero (Rennes) seguiram para França, Hernani para o Olympiacos, de Marco Silva, e Adrián López, o maior “flop” de 2014/15, regressou a Espanha, rumando ao Villarreal. Em relação à época transacta, já haviam saído Danilo, Alex Sandro, Casemiro, Óliver Torres, Ricardo Quaresma e Jackson Martinez, mais o guarda-redes Fabiano, que renderam aos portistas um recorde de mais de 100 milhões de euros. Por seu lado, o bicampeão Benfica manteve o argentino Nicólas Gaitán, que durante muitos meses foi dado como certo em vários clubes, nomeadamente o Manchester United, mas que, pelo menos para já, continua como o “10” dos “encarnados”.

Em relação à época passada, Maxi Pereira e Lima são as principais baixas – mais Salvio, por lesão –, enquanto os avançados Mitroglu e Raúl Jimenez foram as contratações mais importantes. Em relação ao Sporting, saíram o egípcio Ramy Rabi (Ah-Ahly), Diego Rubio (Valladolid) e Filipe Chaby (União da Madeira), mas outros não conseguiram ser “despachados” e foram integrados no plantel, casos de Diogo Salomão, Valentin Viola, Zacaria Labyad e Salim Cissé.

O novo treinador dos ‘leões’, Jorge Jesus, ficou com todas as armas que Marco Silva teve em 2014/15, excepto  Cedric e Nani, que estava emprestado, e reforçou-se com João Pereira, Naldo, Aquilani, Bryan Ruiz ou Teófilo Gutiérrez. Destaque também, no último dia, para o Sporting de Braga, que contratou Filipe Augusto (Rio Ave), Wilson Eduardo (Sporting) e Aarón Ñiguez (Elche) e emprestou Pedro Tiba e Erick Moreno (Valla-dolid), Fábio Martins (Paços de Ferreira), Rodrigo Battaglia (Moreirense) e Tiago Gomes (Metz). Quanto aos outros clubes, o Belenenses recrutou Luís Leal e Kuca e o Boavista foi ao Brasil buscar Rivaldinho, o filho do Bola de Ouro Rivaldo, enquanto, na II Liga, o Olhanense fez regressar o guarda-redes Moreira (ex-Benfica).

O mercado em Portugal fechou na segunda-feira. Os clubes lusos ainda podem contratar jogadores desempregados – a época passada o Benfica aproveitou essa situação para contratar o brasileiro Jonas, em Setembro. Quanto ao mercado internacional, muitas foram as movimentações, mas o maior destaque foi a transferência falhada do guarda-redes De Gea do Manchester United para o Real Madrid, por falha na entrega da documentação a tempo. Em matéria de mudanças consumadas, destaque para a de Drexler, do Schalke 04 para o Wolfsburgo, e para o Manchester United, que vendeu o mexicano Chicharito ao Bayer Leverkusen e emprestou o belga Januzaj ao Borussia Dortmund.