FC Porto mantém liderança com vitória sobre o Sporting de Braga

0
66
FC Porto mantém liderança com vitória sobre o Sporting de Braga

O FC Porto respondeu à pressão imposta pela liderança provisória conquistada no sábado pelo Benfica e segurou o primeiro lugar da Liga de futebol, com um triunfo frente ao Sporting de Braga, por 3-2, no Dragão.

 Os portistas estiveram a ganhar por 3-0, com dois golos de Hulk e um de Kléber, mas acabaram por deixar a formação "arsenalista" reduzir para a diferença mínima, através de dois golos de Lima, nos minutos finais e já nos descontos.
 Seguindo a máxima de não mexer em equipa vencedora, o treinador Vítor Pereira fez alinhar frente ao Sporting de Braga o mesmo "onze" que venceu o Shakhtar Donetsk, na Ucrânia, por 2-0, em jogo da Liga dos Campeões.

 A formação "arsenalista", por seu lado, apresentou no Estádio do Dragão uma equipa com algumas surpresas, destacando-se a titularidade de Paulo César e Fran Mérida e a condição de suplente de Hélder Barbosa.
 O FC Porto teve um início de jogo autoritário e "musculado", que rendeu a Álvaro Pereira um cartão amarelo logo aos 11 minutos, mas quase sempre com lances inconsequentes junta da baliza de Quim.
 À maior posse de bola dos "dragões" respondia o Sporting de Braga através de rápidos contra-ataques e cruzamentos para a área de Helton, como os de Lima, aos 16 minutos, e Alan, aos 17.

 Aos 26 minutos, após várias tentativas, foi a vez de Hulk arrancar para a baliza "arsenalista", pela direita, e com um remate cruzado obrigar o guarda-redes Quim a defender com os pés.
 Ao primeiro real sinal de perigo dos "dragões", o Sporting de Braga respondeu com novo cruzamento de Alan, para as costas da defesa, mas Paulo César, em esforço, er-rou o alvo.
 O domínio do FC Porto acabou por ser transformado em golo por Hulk (1-0), aos 37 minutos, com um desvio de cabeça entre os "centrais", correspondendo a um centro milimétrico de James, que apanhou Quim a meio caminho.
 Na segunda parte, a formação “azul e branca” entrou algo anestesiada com a vantagem conquistada pela cabeça de Hulk e assumiu uma postura menos agressiva e a apostar no erro do Sporting de Braga.

 O ritmo do jogo decaiu, a pressão e posse de bola do FC Porto também, e as oportunidades de perigo junto das balizas, salvo raras excepções, escassearam, apesar das tentativas de Defour, James e Hulk.
 Depois de Paulo Vinícius e Ewerton terem impedido James e Hulk de ficar em boa posição para visar a baliza, aos 57 e 59 minutos, o golo rondou ambas as balizas em apenas seis minutos.

 Primeiro, o guarda-redes bracarense Quim negou o golo a James, aos 67 minutos, e depois foi a vez do portista Helton retribuir o gesto aos 73, negando o golo do empate a Alan.
 Estes lances tiveram o condão de espevitar a equipa portista que elevou a vantagem para 2-0 por Hulk, aos 78 minutos, com um remate forte e colocado, e para 3-0 por Kléber, aos 82.
 O Sporting de Braga nunca baixou os braços e reduziu por Lima, aos 89 minutos, na transformação de uma grande penalidade a castigar derrube de Hulk, e, já nos descontos, o mesmo jogador voltou a marcar, fixando o 3-2 final.