FC Porto iguala pontuação do Benfica depois de vitória sobre o Sp. Braga

0
39
FC Porto iguala pontuação do Benfica depois de vitória sobre o Sp. Braga

O FC Porto igualou o Benfica na liderança da Liga de futebol, ao vencer o Sporting de Braga por 2-0, com um "bis" de Jackson Martinez, em jogo da 12.ª jornada da prova.

 Aproveitando o deslize da véspera do Benfica (2-2) com o Arouca, os "dragões" aca-baram com uma série de três jogos sem vencer – na qual perderam vantagem de cinco pontos para "águias" e "leões" – com golos de Jackson Martinez (48 e 79), que "valem" os mesmos 27 pontos da equipa de Jorge Jesus.

  Depois dos lenços brancos e da atitude agressiva dos adeptos perante o grupo de trabalho após a derrota em Coimbra, o jogo era de alto risco e sem margem de erro para o tricampeão, mas nem o tónico "encarnado" parecia funcionar.

 A tolerância dos adeptos durou escassos três minutos, altura em que Pardo criou a primeira (e quase única) oportunidade do Braga – desvio de Danilo para canto -, numa entrada mais afoita e objectiva dos visitantes.

 Os assobios, junto com o notório medo de errar, levaram os portistas a acumularem passes falhados: uma equipa sobre brasas, completamente perdida e sem ideias, capacidade ou um rasgo para acalentar esperanças de sequer criar perigo no último terço do terreno.

 O futebol lento, previsível e intranquilo era facilmente anulado pelos "arsenalistas" que não viam perigo nos flancos – Varela e Josué inócuos, tal como os laterais Danilo e Alex Sandro – e iam tentando aproveitar o desassossego contrário, mas sem grande convicção, parecendo mais preocupados em destruir do que o inverso.

 Em toda a primeira parte, apenas por uma vez o golo esteve à vista, com Josué (34), no coração da área, a fugir a um contrário e disparar, para uma grande defesa de Eduardo, para canto.

 A entrada de Carlos Eduardo para o lugar de Lucho resultou na etapa complementar, que começa com um cruzamento de Alex Sandro (48) para Jackson Martínez, cujo rema-te desviou ainda em Nuno André Coelho e a bola entrou fora do alcance de Eduardo.

 O tento espevitou ainda mais os "dragões", que ameaçaram em livre de Josué (50,) que Eduardo afastou com os punhos e depois foi Santos (57) a aliviar "chapéu" a Eduardo.

 Era o melhor período do campeão e, no minuto imediato, Herrera, de cabeça, não teve centímetros suficientes para cabecear para baixo.

 Um Sporting de Braga inofensivo ajudou ao serenar do FC Porto, que mandou mais e melhor e ficou ainda mais tranquilo aos 79, com o segundo de Jackson.