FC Porto e Benfica empataram em clássico no “Dragão”

0
129

FC Porto e Benfica empataram na sexta-feira 1-1, em partida da 14.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que teve uma toada dividida e que valeu, sobretudo, pela primeira parte, na qual aconteceram os golos do encontro.

  Os ‘encarnados’ adiantaram-se no marcador aos 17 minutos, com um golo de Grimaldo, mas os ‘dragões’ responderam aos 25, com um tento de Taremi, avançado que acabou expulso aos 73 minutos, com o vermelho directo, deixando a equipa em inferioridade até ao final.

  Com este resultado, FC Porto e Benfica não capitalizaram o empate do Sporting frente ao Rio Ave (1-1), momentos antes, e contam ambos 32 pontos, quatro atrás do líder do campeonato.

  As duas equipas até começaram o jogo muito encaixadas, mostrando preocupação em não conceder espaços, sobretudo no meio-campo, numa postura ‘inimiga’ de um futebol mais ofensivo nos instantes iniciais.

  O FC Porto, que surgiu com Luis Diáz e Nanu nos lugares de Otávio e Manafá, afastados do jogo por estarem infetados com covid-19, foi o primeiro a desembaraçar-se das marcações apertadas do adversário e a deixar um sinal de perigo, num remate de Uribe, ainda antes dos 10 minutos, que Vlachodimos afastou.

  Do outro lado, o Benfica, que surpreendeu com um ‘onze’ no qual surgiu Grimaldo mais integrado nas manobras do meio-campo e Nuno Tava-res mais atrás na letaral esquerda, respondeu na jogada seguinte, com Seferovic a desviar por cima um cruzamento de Darwin Núñez.

  Os lances tiveram o condão de soltar a postura mais conservadora dos dois conjuntos, com os ‘encarnados’ a revelarem-se um pouco mais atrevidos e a colherem frutos numa jogada de contra-ataque.

  Seferovic à entrada da área portista, solicitado por Nuno Tavares, protagonizou um toque subtil que desmarcou Grimaldo, com o espanhol, no frente a frente com o guardião portista Marchesin, a desviar para 1-0, aos 17 minutos.

  O FC Porto ainda demorou alguns momentos a recompor-se, mas, pouco depois, respondeu à altura, com Corona, na sequência de lançamento lateral, a assistir Taremi, que rematou e ainda viu a bola desviar em Marega, antes de fixar o empate, aos 25 minutos.

  Com o desafio, de novo, relançado, e as duas equipas a imporem mais velocidade nas saídas para o ataque, foi o Benfica a ter a melhor oportunidade para resgatar a vantagem, num remate de Darwin Núñez ao poste da baliza dos locais, à passagem da meia hora.

  O FC Porto, um pouco mais pressionado nos derradeiros minutos desta etapa inicial, ainda teve, também, uma boa chance para alterar o empate, num remate de Luis Diáz, que saiu um pouco ao lado, fazendo prolongar o 1-1 até ao intervalo.

  No regresso do descanso, os dois conjuntos surgiram com um futebol mais musculado, mas também mais quezilento, e, embora os ‘dragões’ tentassem impor um ascendente, pisando mais tempo a área contrária, foi o Benfica a deixar uma ameaça, num remate de Rafa, aos 61, a que Marchesin se opôs.

  Os ‘azuis e brancos’ reponderam já aos 70, num cabeceamento de Marega, que Vlachodimos susteve, mas, passados alguns minutos, tiveram um revés, com a expulsão de Taremi, após uma entrada sobre Otamendi, sancionada com vermelho directo, após consulta às imagens do VAR.

  Mesmo a jogar em inferioridade, os nortenhos ainda tiveram mais uma boa oportunidade, numa perdida de Marega quando estava em excelente posição, mas, aos poucos, o Benfica foi pressionando e ameaçando o golo, através de um cabeceamento de Vertonghen e num forte remate de Everton.

  O FC Porto ainda respondeu, nos descontos, com um ‘tiro’ de Uribe, mas insuficiente para desfazer o 1-1 que prevaleceu até ao final.