FC Porto cede empate com Besiktas no Dragão

0
160
FC Porto

FC PortoUm penalti mal assinalado parecia ter aberto caminho à vitória do FC Porto sobre o Besiktas, mas a expulsão de Rodriguez “só” deu empate, que vale, porém, os 16 avos de final da Liga Europa em futebol.


 Com uma impressionante série de 17 jogos sem perder esta época (apenas dois empates – o outro em Guimarães), o FC Porto conquistou o direito matemático de aceder à fase a eliminar e nos últimos dois jogos defende apenas a liderança do grupo, bem como o seu prestígio internacional.
 Com Varela e João Moutinho (entrou aos 63 para o lugar de Hulk) poupados para o importante clássico de domingo com o Benfica, algo permitido pela vantagem pontual, André Villas-Boas apostou em alguns jogadores menos utilizados, que sentiram dificuldade em encaixar no “onze”.
 Depois de um primeiro susto do Besiktas, logo a abrir, o FC Porto começou a dominar sobretudo através das arrancadas de Hulk, que, além de ter disparado aos cinco minutos, “deu” um golo a Falcão, aos 18, que este não soube aproveitar.

 O golo do FC Porto aconteceu aos 36 minutos, quando Falcão transformou bem uma grande penalidade, mal assinalada sobre si, que já ia em queda quando foi tocado pelo guarda-redes.
Feito o golo, o líder folgado do grupo e do campeonato português esperou tranquilamente pelo intervalo, período de descanso após o qual Cristian Rodriguez ameaçou logo na abertura, com um forte remate do lado esquerdo do ataque.

O mesmo Rodriguez, já depois de Hulk ter tido a possibilidade de “matar” o jogo, acabou por ser expulso por ter iniciado uma picardia com Toraman, obrigando o FC Porto a esforços redobrados durante oito minutos (o turco também foi expulso por acumulação, aos 67).
Com a expulsão, o Besiktas tornou-se mais forte, atirou ao poste aos 60 minutos, por Holosko, e, dois volvidos, Nihat Kahveci surpreendeu com um potente remate de fora da área, ao ângulo superior esquerdo, e fez o empate.
De novo de igual para igual, o FC Porto começou então a sofrer, com um falhanço de Gulum, primeiro, e dois remates de Bobo, um deles à barra, a 15 minutos do final.

Aos 79 minutos, o Estádio do Dragão levantou-se para gritar golo, nos festejos a um pequeno chapéu de Ruben Micael, mas nem o árbitro, nem os dois assistentes (o de linha e de baliza), deram qualquer sinal para se consumar a vitória, perante os protestos dos “dragões”, que pareciam ter razão, num lance de difícil análise. O resultado ficou pelo empate, que de certo modo premeia as duas equipas.
 O FC Porto tem o seu lugar assegurado para a fase seguinte.

FICHA DE JOGO:
 Encontro no Estádio do Dragão, no Porto.
 Resultado
 FC Porto – Besiktas, 1-1.
 Ao intervalo: 1-0.
 Marcadores:
 1-0, Falcão, 35 minutos (grande penalidade).
 1-1, Nihat Kahveci, 62.
 Equipas:
 FC Porto: Helton, Fucile, Otamendi, Rolando, Álvaro Pereira, Guarin, Belluschi (Souza, 73), Ruben Micael, Hulk (João Moutinho, 63), Cristian Rodriguez e Falcão (Walter, 79).
 Besiktas: Hakan Arikan, Roberto Hilbert, Ibrahim Toraman, Ersan Gulum, Ibrahim Uzulmez, Fabian Ernst, Mehmet Aurélio, Guti Hernandez, Nihat Kahveci (Erhan Guven, 90+2), Rodrigo Tabata (Filip Holosko, 46) e Bobo (Necip Uysal, 84).
Árbitro: Paolo Tagliavento (Itália).
 Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ibrahim Toraman (29 e 67), Cristian Rodriguez (39 e 59), Roberto Hilbert (44), Ibrahim Uzulmez (59) e Ersan Gulum (87). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Cristian Rodriguez (59) e Ibrahim Toraman (67).
 Assistência: 34 139 espectadores.