Espanha revalida título de Campeã da Europa com goleada

0
106
Espanha revalida título de Campeã da Europa com goleada

A Espanha venceu a Itália na final do UEFA EURO 2012, por 4-0, tendo conquistado pela segunda vez consecutiva o Campeonato da Europa, depois de ter vencido o Mundial de 2010.

 A selecção espanhola, bem ao seu estilo, entrou no encontro de forma confiante e foi trocando a bola entre os seus jogadores, tendo ficado perto do golo aos nove minutos. Xavi Hernández tentou a sorte à entrada da área, com a bola a passar muito perto da barra da baliza de Gianluigi Buffon.
 Com uma entrada fortíssima, a formação espanhola culminou o domínio inicial com um golo aos 13 minutos. Cesc Fàbregas progrediu pelo lado direito, efectuou o cruzamento e David Silva, de cabeça, inaugurou o marcador.
 A equipa italiana tentou responder, tendo pressionado os espanhóis nos minutos se-guintes mas sofreu um duro golpe aos 20 minutos, já que ficou sem Giorgio Chiellini, devido a lesão, com Federico Balzaretti a entrar para o seu lugar.
 Apesar de ter ficado sem uma peça importante no sector mais recuado, os homens de Cesare Prandelli não baixaram os braços e coleccionaram alguns lances de apuro junto da baliza de Iker Casillas.

 Aos 28 minutos, Antonio Cassano poderia ter restabelecido o empate, com um remate perigoso, descaído sob o lado direito.
 A bola passou entre as pernas de Gerard Piqué mas Casillas estava atento e travou o disparo do avançado transalpino.
 Quatro minutos depois, Cassano voltou a testar os reflexos de Casillas, desta vez forçando o guardião do Real Madrid CF a uma defesa de recurso.
 Contudo, ainda antes do descanso, a Espanha aproveitou um contra-ataque para dilatar a vantagem, aos 41 minutos. Xavi desmarcou Jordi Alba na perfeição, com o lateral a não perdoar na cara de Buffon, tendo assinado o primeiro golo ao serviço de "la roja".
 Dois minutos depois, Casillas esteve novamente em destaque, ao travar eficazmente um disparo perigoso de Riccardo Montolivo.
 Na segunda parte, a Itália entrou melhor, com Antonio Di Natale a cabecear com muito perigo aos 46 minutos.
 Ainda assim, o remate do avançado italiano saiu ligeiramente por cima. Fàbregas respondeu no minuto seguinte, na sequência de uma iniciativa individual, com Buf-fon a negar o terceiro golo aos espanhóis.

 Aos 50 minutos, Di Natale ficou novamente perto do golo, depois de encontrar espaço na defensiva contrária.
 O atacante tinha tudo para marcar, mas Casillas voltou a corresponder com uma excelente defesa. Aos 61 minutos, os italianos sofreram novo revés, uma vez que Thiago Motta foi forçado a sair devido a lesão, minutos depois de ter entrado, com a Itália a terminar o encontro reduzida a dez elementos, já que havia esgotado as substituições.
 Em superioridade numérica, a Espanha controlou as operações, tendo aproveitado para dilatar a vantagem aos 83 minutos, mercê de um golo do recém-entrado Fernando Torres, que conseguiu o feito de marcar em duas finais de Campeonatos da Europa. Juan Mata, que também saltou do banco, assinou o 4-0 aos 88 minutos. A Espanha venceu assim o seu terceiro Europeu, após as vitórias em 1964 e 2008.