Escritor José Luís Peixoto em Joanesburgo e Pretória

0
53
Escritor José Luís Peixoto em Joanesburgo e Pretória

Escritor José Luís Peixoto em Joanesburgo e PretóriaJosé Luís Peixoto, um dos mais destacados escritores portugueses da actualidade, estará em Pretória e Joanesburgo nos próximos dias 26 e 27 (sexta-feira e sábado), para um contacto com os estudantes de português e o público em geral.

 A presença do escritor na África do Sul, patrocinada pelo Instituto Camões, destina-se sobretudo a melhor dar a conhecer a sua obra a todos os interessados, sejam eles portugueses ou sul-africanos. 
 Assim, em Joanesburgo, José Luís Peixoto estará presente, no dia 26 de Agosto, sexta-feira, entre as 10h e as 12h, no Centro de Estudos Portugueses da Witwatersrand University (011 717 4246), para uma sessão de leitura e uma conversa com os seus leitores e no dia se-guinte, sábado, às 12h30m, participará numa sessão de leitura na Livraria Boekhuis (Cnr. Lothbury e Fawley Stre-ets/0114823609/ Boekehuis@ boekehuis.co.za).

 Já em Pretória, também no sábado, dia 27 de Agosto, às 9h30m, o escritor preferirá uma palestra dirigida em especial aos alunos da Universidade Sénior na África do Sul, a ter lugar nas instalações da Alliance Française (99 Rivier Street). Todos estes eventos serão abertos ao público.
 José Luís Peixoto nasceu em 1974 em Galveias, no Alentejo. Estudou Línguas e Literaturas Modernas na Universidade Nova de Lisboa. Foi durante alguns anos professor do ensino secundário, tendo dado aulas em várias escolas portuguesas e na Cidade da Praia, em Cabo Verde.

 Desde 2000, Peixoto publicou dez livros (7 títulos de ficção e teatro e 3 de poesia). Foi por três vezes o vencedor do prémio “Jovens Criadores”. O seu primeiro romance, Nenhum Olhar (‘Blank Gaze’), foi considerado um dos melhores livros na lista dos vários prémios literários portugueses existentes na actualidade.
 Peixoto ganhou, em 2001, o Prémio José Saramago, entregue de dois em dois anos para o melhor texto de ficção escrito em todos os países de língua portuguesa. Nenhum Olhar foi considerado pelo Financial Times como um dos melhores livros de 2007.

 Em 2003, José Luís Peixoto escreveu Antídoto, livro de contos, num projecto conjunto com o grupo de rock Moonspell, que lhe trouxe novos leitores em todo o mundo. Em 2007, o seu romance Cemitério de Pianos (‘The Piano Cemetery’) ganhou o prémio Calamo para o melhor romance traduzido em Espanha. Em 2008 recebeu o prémio Poeta Daniel Faria.
 Os seus contos e os seus poemas estão incluídos em várias antologias, encontrando-se traduzidos em 20 línguas.