Equipa de futebol Sub-12 do Robertsham conquista Super Taça

0
43
Equipa de futebol Sub-12 do Robertsham conquista Super Taça

O Robertsham Footbal Club é uma colectividade que tem a sua sede muito perto de centros habitacionais onde vivem elementos da comunidade portuguesa.

 Devido a essa proximidade é lógico que os desportistas portugueses jóvens e não só, procurem as suas instalações para a prática do futebol.
 No abono da verdade, quando a nossa comunidade portuguesa era maior, podia-se dizer que o português era a segunda língua mais falada no Robertsham FC, quer os atletas como também os treinadores.
 As coisas mudaram – mas ainda temos lusodescendentes que escolhem a colectividade como a sua casa para a prática do desporto.
 Tivémos a visita nos nossos serviços de Redacção, de Patrick Walker, director res-ponsável pelo departamento de Sub-12 que aproveitou para nos falar do clube e mais assuntos relaccionados com a colectividade. O Robertsham no escalão Sub-12, recentemente conquistou a Super Taça da Liga.
 Patrick começou por nos dizer:
 ³Devido à nossa situação, muito próximo de zonas urbanizadas e escolas, são muitos os jovens que nos procuram.
 Dentro das nossas limitações vamos dando apoio e tentar integrá-los nas nossas equi-pas.
 Eu sou responsável pelas equipas do futebol Sub-12 que na temporada que agora findou conquistou brilhantemente a Super Taça da Liga.
 Neste escalão, nos Sub-12 temos 35 atletas divididos em duas equipas que participam nos campeonatos distritais.²  No cômputo geral, quantos jogadores compõem o Robertsham nos seus mais di-versos escalões?
 ³Temos perto de 300 atletas. No Robertsham temos equipas de miúdos dos
Sub-6 até aos Sub-17 e por aí em diante, até chegarem ao segundo time e evidentemente à primeira equipa.²  Como é que arranjam fundos para manterem o clube a funcionar?
 ³O dinheiro vem dos associados, dos bolsos dos directores e também nós treinadores damos a nossa fatia. Temos alguns patrocinadores que são a nossa tábua de salvação²  E apoios dos organismos oficiais ligados ao futebol?
 ³Por mais incrível que pareça nada. Nem uma bola ou uma camisola. É tudo comprado à nossa custa e dos pais dos jogadores. Da SAFA (Associação de Futebol Sul-Africana), nunca recebemos nada. Somos completamente ignorados, apesar dos nossos constantes apelos e de possuírmos no clube escalões de formação.
 Ainda recentemente fizémos deslocar a nossa equipa de Sub-13 para participar num Torneio Internacional à Suécia, e foi tudo à nossa custa e com a ajuda de alguns patro-cinadores e dos pais dos atletas.
 Em 20015 vamos levar mais outra equipa à Europa. As despesas de deslocação e de alojamento estão orçadas em cerca de 500 mil randes.
 Vamos organizar festas e angariar os fundos para essa digressão.²  Planos para o futuro?
 ³O nosso futuro são os nossos miúdos. Faz parte da nossa política desportiva que tanto os treinadores como os dirigentes acompanhem a evolução dos miúdos a passar de um escalão para o outro.
 Isso é benéfico para o atleta e para o clube. Temos treinadores a lidar com esses miúdos há cinco anos consecutivos.²  Jogadores portugueses ou lusodescendentes que se tenham evidenciado?
 ³ Bem sou contra estar a mencionar A, B ou C. Porque entre nós prevalece o espírito de equipa. No entanto posso afirmar que temos, no nosso clube, o jovem Micael Fatela, que neste fim de temporada jogou nos dois times.
 Participou no Torneio Internacional da Suécia e foi mais tarde para Dubai, dos Sub-13 e também na nossa Liga, inserido na equipa de Sub-12.
 Quando esteve no Dubai, um ³olheiro² foi falar com o pai e tudo indica que ele muito em breve irá frequentar uma Academia de Futebol na Inglaterra – a do Fulham. Vai ser muito bom para o miúdo, pois ele tem talento, tanto assim que no Torneio de Dubai, no qual  participou como convidado, foi o melhor marcador da prova.
 O Fulham, para além do futebol permite que ele frequente a escola e prossiga a sua vida académica. Está tudo incluído e às custas do clube formador.
 Se isso vier a acontecer, embora seja uma perda irreparável para nós e para o Robertsham só lhe desejamos muita sorte.
 Também temos o Renato Sebastião que está a despontar para o futebol e possui muitas qualidades. Até faz a dupla com o Micael Fatela. Os dois completam-se e são um perigo para os guarda-redes adversários.
 Se bem encaminhado, com bons treinadores o Renato pode ir longe.
 O nosso treinador Mark de Freitas vai sentir a falta do Micael, que além do futebol, como todos sabem, é também exímio na arte marcial, tendo conquistado vários troféus no karate.
 Recentemente o Robertsham foi com prazer que forneceu jogadores para participarem no campeonato da District League.
 É uma espécie de selecção que representa as gentes do sul. Ora do Robrtsham tivémos mais de dez elementos convocados, isso é uma prova de que estamos a enveredar pelo bom caminho.
 Aproveito esta oportunidade para lançar um apelo aos atletas que nos queiram representar para a próxima época, para passarem pelo sede do nosso clube.
 Também pedimos aos pais para que tragam os seus miúdos até às nossas instalções. pois elas são acolhedoras.²