Emigrantes têm menos dinheiro

0
46
Portugal

PortugalOs portugueses radicados no estrangeiro enviaram no ano passado menos 215,66 milhões de euros para Portugal do que em 2008, com o valor a aproximar-se dos 2,27 biliões de euros, segundo dados do Banco de Portugal.

Em 2008, o montante enviado para Portugal pelos emigrantes foi de cerca de 2.485 milhões de euros, já então em queda anual, mas inferior em menos de metade à registada no ano passado.
 A maior queda de remessas verificou-se de França – menos 97,69 milhões de euros – embora este país continue a ser a principal fonte de remessas de emigrantes para Portugal, com 885,34 milhões de euros, seguido da Suíça, com 530,74 milhões de euros.

 Entre os países da União Europeia com dados individualizados, só de Espanha as remessas aumentaram – de 126,23 milhões de euros para 129,69 milhões de euros.
 Com este aumento, Espanha ultrapassou, aliás, em 2009, os Estados Unidos e a Alemanha, que até agora eram os terceiro e quarto países, respetivamente, de onde provinham maiores remessas.
 Dos Estados Unidos chegaram 126,89 milhões de euros enviados por emigrantes, menos 44,57 milhões de euros do que em 2008, e da Alemanha 120,41 milhões de eu-ros, menos 27,2 milhões de euros.

 O envio de dinheiro para Portugal diminuiu também de países como o Reino Unido (menos quase 40 milhões de euros), Canadá e Brasil, estes com menor significado, tendo aumentado as remessas do Luxemburgo e estabilizado as oriundas da Venezuela.
 Dos países não contabilizados individualmente, tratados em grupo como “do Resto do Mundo”, o fluxo de remessas dos emigrantes também aumentou, passando para 155,23 milhões de euros, contra 128,32 milhões de euros em 2008.

 O envio de dinheiro de imigrantes em Portugal para os seus países de origem também caiu em 2009, para 539,64 milhões de euros, quando a tendência nos anos anteriores tinha sido de aumento. Em 2008, esse montante foi de quase 580 milhões de euros.