Embaixador de Angola na China quer explorar novas áreas de cooperação além do petróleo

0
35
Embaixador de Angola na China quer explorar novas áreas de cooperação além do petróleo

Angola espera abrir “novas áreas de cooperação” com a China, nomeadamente na agricultura e exploração de diamantes, não se limitando a exportar petróleo para aquele país, indicou o novo embaixador angolano em Pequim, João Garcia Bires.

 “O nível das nossas relações é bom, mas acreditamos que irá aumentar, abrindo áreas de cooperação que até agora não foram suficientemente exploradas”, afirmou João Garcia Bires, um dia depois de ter apresentado as suas cartas credenciais ao Presidente chinês, Hu Jintao.
 Segundo o embaixador angolano, a agropecurária e a exploração mineira, em particular “diamantes, ferro e manganês”, são algumas das áreas que Angola gostaria de desenvolver em conjunto com a China.
 “Num futuro próximo, podemos exportar para a China outros produtos além do petróleo”, acrescentou.
 Na entrevista à Lusa em Pequim, Garcia Bires enalteceu “o auxílio chinês” à reconstrução de Angola após o final da guerra civil, há cerca de uma década.

 “A reconstrução do meu país deve-se em parte ao auxílio financeiro, técnico e científico do Governo chinês”, afirmou.
 Membro da Associação de Escritores Angolanos, com três livros de poesia publicados, o novo embaixador de Angola na China espera também dinamizar a cooperação bilateral no domínio da cultura.
 “Estamos a melhorar as artes cénicas e a criar escolas de música clássica (…) A China poderá facilitar o envio de especialistas (nessas áreas)”, indicou.
 José Garcia Bires, 67 anos, sucedeu em Pequim ao embaixador João Manuel Bernar-do, que foi colocado no vizinho Vietname.
 Formado em Direito Internacional na antiga União Soviética, João Garcia Bires já foi embaixador em Moçambique e na Namíbia.
 Angola e China estabeleceram relações diplomáticas em 1983.

 Entretanto, Angola tornou-se um dos principais fornecedores de petróleo à China e, devido aquela matéria-prima, passou a ser mesmo um dos seus maiores parceiros comerciais no continente africano.
 Pelas estatísticas chinesas, as exportações angolanas para a China aumentaram 4 por cento nos primeiros dez meses de 2011, para 20,14 mil milhões de dólares (16,8 mil milhões de euros), mais 17,9 mil milhões de dólares (13,4 mil milhões de euros) do que Angola importou daquele país.