Embaixada de Portugal reforça cooperação do ensino de Português no Soweto

0
40
Comunidades

Na quinta-feira, 3 de Março, a Embaixada de Portugal esteve presente na escola secundária de Protea Glen, no Soweto, onde o embaixador de Portugal, António Ricoca Freire, entregou livros para reforçar a Biblioteca Nelson Mandela daquela escola, bem como um computador de secretária.

 A entrega foi feita pelo embaixador português que estava acompanhado de Ana Brito Maneira, conselheira de embaixada, Rui Azevedo, coordenador do Ensino de Português na África do Sul e da cônsul-geral de Portugal em Joanesburgo, Luísa Fragoso.

 Antes dos diplomatas chegarem à escola, o advogado e comendador José Nascimento, patrono daquela instituição de ensino, esteve na Biblioteca da escola a dar uma pa-lestra sobre os direitos humanos e os direitos constitucionais sul-africanos a alunos da Protea Glen.

 Durante esta palestra, onde depois também interveio o embaixador e a conselheira de embaixada, abordaram-se temas como as propinas universitárias, o direito garantido ao ensino gratuito, seja ele básico ou superior e os alunos mostram muita curiosidade em saber como funciona o sistema de ensino em Portugal.

 Quer o embaixador Ricoca Freire quer a conselheira Ana Brito Maneira, responderam a todas as questões e tiraram várias dúvidas aos alunos ávidos de saber.

 Foi também levantada a possibilidade de fazer um intercâmbio de estudantes da Protea Glen a Portugal.

 O embaixador António Ricoca Freire, visivelmente satisfeito, afirmou com um sorriso rasgado aos alunos e responsáveis da Protea Glen Secondary School, que a dádiva de livros e da torre de computador naquele dia “é para dar um sinal de que uma boa parceria é algo que dura muito tempo, é aquela que é criada para durar. Estou certo que depois da minha partida, isto é algo que não depende de mim. É maior do que eu e passá-lo-ei aos sucessores do cargo, ou seja outros embai-xadores de Portugal.”

 “É algo para durar! Uma parceria é como amizade, é algo que não pode ser guardado, tem que ser desenvolvida. Começámos com esta parceria há sensivelmente um ano e quero-vos dizer que nós estaremos aqui para trabalhar.”

 O diplomata português afirmou também que “gostaria de falar convosco mais tarde já na Matric, para saber como estão as aulas e a parceria com a Embaixada sobre o ensino de Português.”

 Os livros, enfatizou o embaixador, “são donativos simbólicos, a propósito de um espectáculo que organizámos em que o preço de entrada, era um livro. Hoje, estes livros vão alimentar as vossas mentes e ajudar-vos a crescer”, conclui o diplomata.

 Foram depois entregues os livros e tiradas várias fotografias com os alunos e alunas da escola secundária, que estavam todos visivelmente felizes pelo donativo que incrementa e alarga o leque de leituras na Biblioteca Nelson Mandela.