Em Macau caem as receita de jogo em casino e aumenta o défice comercial

0
37
Em Macau caem as receita de jogo em casino e aumenta o défice comercial

A receita bruta do jogo em casino em Macau caiu em Outubro pelo quinto mês consecutivo, ao ter-se contraído 23,2% relativamente a Outubro de 2013 para 28 025 milhões de patacas (3503 milhões de dólares), de acordo com dados oficiais divulgados.

 A variação percentual negativa registada em Outubro é a mais acentuada desde Junho, mês em que se iniciou o presente período de quebra homóloga das receitas em termos mensais com menos 3,7%.

 Em Julho essa variação foi de menos 3,6%, a que se seguiram menos 6,1% em Agosto e menos 11,7% em Setembro.

 De Janeiro a Outubro, a receita bruta dos jogos de fortuna e azar cresceu 2,3% para 303 967 milhões de patacas (37 995 milhões de dólares), sendo que as variações percentuais registam uma tendência decrescente desde Fevereiro, mês em que cresceram 23,7%.

 Os impostos sobre o sector do jogo são a principal fonte de receita do governo de Ma-cau que cobra, directamente, 35% sobre a receita bruta apurada e outros 4%, indirectamente, para diversos fins como os sociais.

 Além disso, os casinos pagam, anualmente, taxas por cada mesa e máquina de jogos em operação, além de um prémio de concessão.

 No final do primeiro semestre de 2014 havia em Macau 35 casinos das seis concessionárias, sendo 20 da Sociedade de Jogos de Macau, 6 da Galaxy Casino, 4 da Venetian Macau, 3 da Melco Crown Jogos (Macau), 1 da Wynn Resorts (Macau) e 1 da MGM Grand Paradise, que dispunham de 5710 mesas e 12 895 máquinas de jogos.

 

* Macau com défice  comercial de 7,2 mil milhões de dólares de Janeiro a Setembro

 

 Macau registou um défice comercial de 57,89 mil milhões de patacas (7,2 mil milhões de dólares) de Janeiro a Setembro, montante que representa um agravamento homólogo de 12%, informaram os Serviços de Estatística e Censos.

 Nos primeiros nove meses do ano, Macau exportou mercadorias no valor de 7,29 mil milhões de patacas, mais 8% do que no período homólogo de 2013, mas importou bens no montante de 65,18 mil milhões de patacas, ou mais 12% em termos anuais.

 Nos três primeiros trimestres de 2014 os valores exportados para Hong Kong (4,30 mil milhões de patacas) e para a União Europeia (218 milhões de patacas) aumentaram 20% e 5%, respectivamente, em comparação com o período homólogo do ano passado, enquanto que os valores exportados para a China continental (1,13 mil milhões de patacas) e para os Estados Unidos da América (241 milhões de patacas) desceram 7% e 11%, respectivamente.

 No mesmo período Macau importou 21,14 mil milhões e 16,48 mil milhões de patacas de mercadorias da China continental e da União Europeia, respectivamente, ou seja, mais 10% e 22%, em termos anuais, respectivamente.

 Do total das importações 41,61 mil milhões de patacas foram de bens de consumo, nomeadamente 8,54 mil milhões de patacas de alimentos e bebidas e 6,10 mil milhões de patacas de relógios de pulso, que aumentaram 23% e 42%, respectivamente.

 Em Setembro, Macau registou um défice comercial de 7,10 mil milhões de patacas, decorrente de exportações no valor de 762 milhões de patacas e importações que atingiram 7,86 mil milhões de patacas.