EDP estuda construção de central eléctrica de ciclo combinado em Angola

0
58
central eléctrica

central  eléctricaA EDP está a estudar soluções para construir, em Angola, uma central eléctrica de ciclo combinado, contribuindo para solucionar as carências energéticas do país, disse António Mexia, presidente executivo da eléctrica nacional.

 “As centrais de ciclo combinado são a solução que dá uma resposta em tempo útil com a vantagem de que será utilizado gás angolano”, disse António Mexia, à margem da inauguração da central da EDP de Lares (Figueira da Foz).
 No sentido de desenvolver projectos de energia em Angola foi criada uma empresa que integra, para além da EDP, a Sonangol, o Banco Privado Atlântico (BPA) e a FiniCapital.

 António Mexia esclareceu que Angola tem em curso um projecto de Gás Natural Liquefeito (GNL) que estará concluído “num prazo útil”, estimando que a central de ciclo combinado, caso venha a ser implementada, “terá gás angolano”.
 No entanto, o presidente executivo da EDP esclareceu que a central ainda não foi licenciada e que deverá demorar “mais ou menos três anos” a ser construída “a partir do momento em que seja decidido” avançar.

 “Espero que os próximos três a quatro meses permitam deixar de uma forma clara em que sentido é que este projecto possa ser implementado”, estimou António Mexia.
 Acrescentou que nesse período, os investidores terão “uma noção precisa, para além do conhecimento detalhado técnico e das características, que o projecto pode arrancar e ser irreversível ou não”, declarou.

 António Mexia apontou a “determinação” dos quatro sócios em apresentarem soluções para o mercado angola-no, frisando que, actualmente, decorre a “análise dos detalhes daquilo que possa ser a solução final” para o projecto.
 “O que esperamos é que a solução que propomos mereça ou não acolhimento. Vere-mos, estamos aguardando, estamos a fazer aquilo com que nos comprometemos, tentar arranjar soluções para os mercados onde podemos criar a diferença”, resumiu.

 Apesar de António Mexia manifestar que a construção da central ainda não tem decisão final, o primeiro-ministro José Sócrates, no discurso que proferiu na cerimónia de inauguração da central eléctrica de Lares, revelou que a central angolana da EDP vai ser feita “muito brevemente”.