EDM e REN criam sociedade para projectos energéticos orçados em cerca de 4 mil ME

0
67
EDM e REN

EDM e RENA Electricidade de Moçambique e a portuguesa Redes Energéticas Nacionais (REN) assinaram um protocolo para a criação de uma sociedade para projectos de expansão da rede eléctrica em Moçambique, orçados em cerca de quatro mil milhões de euros.

O entendimento alcançado pela empresa pública Electricidade de Moçambique e pela REN visa a criação de uma infraestrutura de transporte e abastecimento de energia no centro e sul de Moçambique, conhecido por Projecto Cesul, indica o respectivo Protocolo de Intenções.

 A estrutura de fornecimento de energia eléctrica que as duas empresas projectam tem por base o esperado aumento da capacidade energética de Moçambique tendo em conta projectos já em implementação e outros em carteira para a construção de mais hidroeléctricas e aumento do potencial das já existentes no sul e centro de Moçambique.

 “Para viabilizar os projectos de geração de mais energia é necessário construir-se um sistema de transporte para evacuar a energia produzida. A solução é o projecto da linha Centro-Sul, ou seja, Projecto Cesul”, refere a proposta de projectos desenhados no âm-bito da parceria com a REN.
 Falando no acto da assinatura do Protocolo de Intenções, o presidente da EDM, Manuel Cuamba, afirmou que a opção pela REN foi determinada pela “robustez técnica e financeira da empresa, tendo em vista a grandeza dos projectos que as empresas vão imcplementar”.
 “A REN dá-nos garantias de que irá trazer valor adicional aos desafios que temos pela frente”, sublinhou Manuel Cuamba.
 Rui Cartaxo, presidente da REN, assumiu o compromisso de uma parceria para um serviço de qualidade e fiável, enfatizando que estas duas premissas estão na primeira linha na actuação da REN.

 “Vejo Moçambique com grande potencial para responder à demanda de fontes energéticas renováveis que está a ser gerada pelas dúvidas em relação ao futuro das energias fósseis”, enfatizou Rui Cartaxo.
 As estruturas a serem construídas vão permitir a ligação entre o centro e norte, produtor, e o sul, interligando os no-vos projectos de hidroeléctricas e os grandes centros de consumo da África Austral, como a África do Sul.

 Segundo o acordo assinado serão construídas duas linhas de transmissão de energia eléctrica , uma de 800 kV entre a subestação de Matabo, em Tete, e a subestação de Maputo, e outra de 400 kV a partir da subestação de Songo, também em Tete, para Maputo.
 Responsáveis da EDM e da REN deverão reunir-se nos próximos meses para definir o calendário de execução dos projectos e o financiamento.