Dragões derrotam V. Guimarães e mantém liderança

0
166
Dragões derrotam V. Guimarães

Dragões derrotam V. GuimarãesO FC Porto, com algum sofrimento, vence o Vitória de Guimarães 2-0.Falcão (67 minutos) e Cristian Rodriguez (90+2) construíram o triunfo do “dragão”, que foi lento e displicente no primeiro tempo, tendo, na etapa complementar, corrigido a tempo de justificar claramente os três pontos.

 A par do Sporting, o “europeu” Vitória de Guimarães foi a outra equipa que tinha roubado pontos ao FC Porto esta época na Liga, mas, à excepção de tentativas tímidas, pouco fez para surpreender, apesar do bom começo.
 A ausência de Hulk (melhor marcador do campeonato com 19 golos) foi notada, es-pecialmente no primeiro tempo, período em que a equipa foi lenta.
 A displicência do FC Porto na etapa inicial ficou traduzida no primeiro lance: os “dragões” saíram com a bola, mas, aos 19 segundos, Helton foi obrigado a se aplicar para, com a perna, negar o golo a Targino.

 Os minhotos começaram melhor e subiram mais vezes à área contrária, mas, progressivamente, os “azuis e brancos” instalaram-se no meio campo contrário, embora sem a pressão que as geladas bancadas aguardavam.
 Falcão (6) obrigou Nilson a defesa a dois tempos e, no minuto seguinte, foi Maicon, sozinho, a cabecear ao lado, lances que foram exceção no início relaxado dos anfitriões, que não tinham em Belluschi, com muitos passes errados, o motor esperado.
 Com os forasteiros já menos ousados, a emoção só voltou às bancadas numa tabela de Álvaro Pereira com Belluschi, mas, em vez de cruzar para Falcão e Varela, o lateral esquerdo uruguaio atirou cruzado ao lado.

 A lentidão de processos dos portistas pesava e a equipa só voltou a assustar aos 38, em cabeceamento de Falcão, ao qual Nilson se aplicou para desviar para canto.
 Sem a habitual classe de Belluschi, Villas-Boas sacrificouo pelo "nervo" de Guarin (54) e depois meteu Cristian Rodriguez (65) no lugar de Varela.
 Aos 66, Guarin e James Rodriguez colocaram a segurança de Nilson à prova e, no minuto seguinte, os “dragões” marcaram.
 James Rodriguez viu a desmarcação de Falcão e endossou-lhe a bola, com o colombiano a atirar para fora do alcance do guarda-redes e assim fazer o seu 11.º golo na Liga.

 Frente a um adversário com dificuldade em reagir, o FC Porto foi então à procura do segundo golo, que desperdiçou em contra-ataque com vantagem numérica na área, num lance em que Ruben Micael perdeu, tendo a bola sobrado para um remate sem nexo de Falcão – nessa altura o adversário estava reduzido a 10, por expulsão de N’Dieaye (87).
 Já nos descontos, transição rápida para contra-ataque, com Ruben Micael a solicitar Cristian Rodriguez, que, com o caminho aberto, fez o golo que mereceu, pela forma como mexeu no jogo.