Doze portugueses morrem em choque frontal entre carrinha e camião em Moulins (França)

0
54
Doze portugueses morrem em choque frontal entre carrinha e camião em Moulins (França)

As autoridades francesas já concluíram a identificação dos 12 emigrantes portugueses que morreram quinta-feira à noite: dois homens tinham morada em Oliveira de Azeméis, um em Castelo de Paiva, um em Trancoso, um em Arouca, uma mulher em Pombal, existindo ainda um casal de Sernancelhe, e uma família (um casal e uma filha) e um homem, de Cinfães.

 Os 12 portugueses, com idades entre os sete e os 63 anos, morreram na sequência de um choque frontal entre a carrinha em que seguiam e um veículo pesado, cerca das 23:45 de quinta-feira, na estrada nacional 79, perto de Lyon, na localidade de Moulins (centro).

 O único sobrevivente dos 13 passageiros da carrinha é o condutor, um jovem de 19 anos, também português, que foi hospitalizado em estado de choque.

 O procurador público de Moulins, Pierre Gagnoud, anunciou que as autoridades vão averiguar se a carrinha, com capacidade até seis passageiros segundo a marca, tinha condições para transportar 13 pessoas.

 O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e os primeiros-ministros português, António Costa, e francês, Manuel Valls, expressaram condolências às famílias das vítimas, que viajavam da Suíça para passarem a Páscoa em Portugal.

 Segundo o jornal local La Montagne, que viajavam desde a Suíça para Portugal, não resistiram ao embate. A carrinha desviou-se para a faixa contrária e colidiu de frente com o camião, não se conhecendo ainda as causas do acidente. O condutor e os dois condutores italianos do camião sobreviveram ao acidente mas ficaram feridos.

 A violência do choque levou a carrinha para uma ribanceira para lá da berma, ficando irreconhecível, o camião ficou também retorcido. Foram chamados 60 bombeiros, seis viaturas de emergência médica e 20 polícias, tendo mesmo sido montado um hospital de campanha no local.

 Ainda de acordo com a AFP, a zona onde se deu o acidente, a estrada nacional 79, junto a Moulins, é considerada perigosa e há recorrentemente acidentes. Com apenas uma faixa para cada lado, fonte policial refere que a via RCEA – (Route Centre-Europe Atlantique/Rota Atlântica Centro-Europa) é considerada «monótona», por a velocidade ser limitada a 90km/h, sendo que «alguns se impacientam para fazer ultrapassagens e outros se deixam dormir».

 Devido à violência do acidente a estrada esteve cortada.

 Foi colocado à disposição em França um número de apoio à família para saber informações sobre as vítimas: (0033 (0)811 00 06 03). Os corpos estão em câmara ardente na localidade de Montbeugny.