Dois golos de rajada desbloqueiam Olhanense e dão vitória folgada ao líder da prova FC Porto

0
95
FC Porto

FC PortoDois golos de rajada, cimentados com outro tento nos descontos, permitiram ao FC Porto quebrar a invencibilidade caseira do Olhanense na Liga de futebol, vencendo por 3-0, em jogo da 21.ª ronda da prova.

 Depois de um ascendente claro e muitas ocasiões falhadas na primeira parte, o FC Porto acabaria por decidir a partida na segunda parte e em apenas dois minutos, com golos de Belluschi (68) e Falcão (70), vendo o colombiano “bisar” no segundo minuto de descontos.
 A equipa de André Villas-Boas, invicta na Liga, iniciou assim da melhor forma o ciclo de cinco jogos que o treinador considera fulcral para chegar ao título, cimentando a liderança do campeonato, com 59 pontos, mais 11 do que o Benfica.

O Olhanense até deu o primeiro aviso no jogo, com um contra-ataque rápido de Paulo Sérgio que o extremo concluiu com um centro para fora, mas a partir daí o FC Porto passou a ter domínio completo.
 Com uma percentagem alta de posse de bola, o líder aplicou-se a fundo na tentativa de derrubar a defensiva algarvia, que trabalhou bem mas não conseguiu evitar várias ocasiões ao longo do primeiro tempo, muitas delas com o “dedo” de Hulk.

 O brasileiro provocou os primeiros lances de perigo, com um “tiro” a rasar o poste, aos 9 minutos, e um remate que Ricardo Batista susteve com dificuldade, dois minutos depois.
 O Olhanense pareceu equilibrar aos poucos, mas raramente criava perigo junto da baliza de Helton, ao contrário do FC Porto, que obrigou o guardião do Olhanense a apli-car-se aos 28, evitando que um corte de André Micael para o lado errado desse em golo.

 Até final da primeira parte, o FC Porto só se pôde queixar da falta de eficácia ofensiva, com Varela a falhar uma emenda quando tinha tudo para fazer golo (34), Ricardo Batista e o corpo de Suárez a evitarem remates de Hulk (35 e 38) e Belluschi a atirar muito perto do poste (39).
 O jogo ganhou ainda mais animação porque o Olhanense também apareceu mais espevitado no reatamento, com Paulo Sérgio a colocar Helton à prova aos 51 minutos e Falcão a responder, no mesmo minuto, com um remate ao poste.

Aos 58 minutos, a equipa portista voltou a estar perto do golo, com Ricardo Batista a defender um “tiro” de Hulk e André Micael a cortar uma tentativa de Falcão e Carlos Fernandes, em cima da linha de baliza, a aliviar.
 Depois de muito insistir sem sucesso, o FC Porto acabaria por decidir o jogo em dois mi-nutos, com golos de Belluschi e Falcão.
Aos 68 minutos, o médio argentino abriu o marcador, com um belo remate à entrada da área, e aos 70, Falcão assinou o segundo, após excelente trabalho na área.

 O Olhanense “acusou” os tentos do FC Porto mas ainda teve ocasiões para reduzir, por Djalmir (77), que falhou o remate acrobático, e Yontcha (82), que permitiu a defesa de Helton.
 Aos 92, Falcão emendou ao segundo poste para o terceiro golo da noite, depois de defesa incompleta de Ricardo Batista a remate de Hulk, selando a primeira derrota caseira do Olhanense na prova.