Documentos portugueses serão um dia renovados em máquinas de plataforma informática

0
30
Documentos portugueses serão um dia renovados em máquinas de plataforma informática

O Secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, defendeu na quinta-feira em Macau que "daqui a uns anos" os cidadãos vão poder renovar documentos como o Car-tão do Cidadão automaticamente numa máquina dispo-nível para o efeito.

 Falando à margem da apresentação da nova plataforma informática do consulado-ge-ral de Portugal em Macau, que permite a marcação electrónica de datas para renova-ção de documentos com alertas por mensagens para tele-móveis, José Cesário não avançou datas, mas frisou ser esse o caminho.

 "Esse é um dos objectivos que temos para daqui a uns anos, que para se concretizar obedece a um conjunto de requisitos técnicos, mas também de segurança", explicou o governante português.

 "Aqui há uns anos tive o objectivo de começar a emitir documentos de identificação fora de Portugal, há 12 anos não havia. Começámos a fa-zê-lo e conseguimos fazê-lo numa altura em que muita gente dizia que não era possível", exemplificou.

 Para José Cesário, daqui a uns anos, "não muitos, haverá alguém que vai desenvolver mais essa ação e essa medida em prol dos portugueses", os de dentro e os de fora.

 Já sobre a plataforma de marcação do consulado em Macau e Hong Kong, o Secre-tário de Estado salientou a inovação da mensagem en-viada pelo sistema, quer para confirmar marcações, quer para alertar os utentes do fim da validade dos documentos, e disse que se trata de mais um serviço que torna mais eficiente o contacto e a relação entre a representação diplo-mática e os seus utentes.

 Numa apresentação comparativa, José Cesário destacou também o aumento do volume de trabalho consular em Ma-cau, dizendo que no primeiro semestre de 2011 tinham sido emitidos 2.616 passaportes, número que no mesmo período de 2014 aumentou para 6.456.

Com 168.000 cidadãos ins-critos, a maioria dos quais de etnia chinesa, o consulado de Macau e Hong Kong é uma das maiores representações de Portugal no exterior.

 Quanto à abertura de um consulado em Cantão, capital da província chinesa de Guangdong, adjacente a Ma-cau e Hong Kong, José Ce-sário reafirmou que a decisão política "está tomada e anunciada" e manifestou o desejo que todo o processo esteja concluído ao longo de 2015.

 Sobre o encontros que já manteve em Macau, quer com entidades oficiais, quer com associações representativas da comunidade local, o secre-tário de Estado destacou a abertura dos novos elementos do Governo de Macau em es-treitarem as relações com Portugal e defendeu que cabe agora ao consulado, ao Insti-tuto Português do Oriente (para as questões da cultura e da língua) e à AICEP (para as questões económicas) apro-veitar essa janela de abertura e procurarem capitalizar ac-ções concretas de coopera-ção.