Dia de Portugal começa com o hastear da bandeira no Núcleo de Arte e Cultura

0
114
Dia de Portugal começa com o hastear da bandeira no Núcleo de Arte e Cultura

Na manhã do dia 10 de Junho de 2015, teve lugar pelas 9h da manhã nas instalações do Núcleo de Arte e Cultura (NAC) em Regents Park, no Sul de Joanesburgo, a cerimónia do hastear das bandeiras sul-africana e portuguesa, o acender da chama da Pátria e o entoar dos hinos nacionais de ambos os países.

 A cônsul-geral de Portugal em Joanesburgo, Luísa Fragoso, marcou a ocasião ao fazer um discurso. Na sua intervenção afirmou que o dia é um dia especial e muito importante para todos os portugueses espalhados pelo mundo. Afirmou que significa portugalidade, patriotismo e “é isso que, apesar do frio, nos faz reunir aqui no NAC de manhã, para celebrarmos este nosso dia.”

 “Quero desejar a todos um feliz dia e quero dizer viva Portugal e a Comunidade Portuguesa deste país!” O discurso foi coroado com um brinde com cálices de vinho do Porto. Após o que foi pedido ao padre mexicano que fizesse uma oração para abençoar o dia. Assim, o pároco leu uma passagem do Envagelho se-gundo São Marcos.

 Na oração, rogou a Deus que abençoasse todos os portugueses, que os protegesse e os trouxesse junto Dele em comunhão num dia de nacionalidade e orgulho lusitano. Terminada a oração e após a bênção, Alexandre Santos, presidente da Comissão organizadora dos Festejos do 10 de Junho em Joanesburgo leu um poema, já publicado pelo nosso jornal, referente às proezas das descobertas e alusivo a Luís Vaz de Camões.

Os vários portugueses reunidos na sede do NAC deslocaram-se depois para o exterior, no terreno do clube onde, junto da estátua de Bartolomeu Dias, se procedeu ao acender da chama da Pátria e ao entoar dos hinos.

 Por fim, colocou-se uma coroa de flores por todos os lusitanos que perderam a vida nesta república vítimas de assassinato.

As celebrações encerraram no Luso Africa, com um arraial.