Despesa social aumentou com a crise

0
56
Despesa social aumentou com a crise

O ministro da Solidariedade, Pedro Mota Soares, defendeu que, em momentos de crise, “faz sentido” que a despesa social aumente e afiançou que o Governo tem feito “um conjunto de reformas” para “salvaguardar” o Estado Social.

 “Sabemos que é essencial reformar Estado Social para o salvaguardarmos e é exatacmente isso que o Governo tem vindo a fazer nos últimos três anos, com muitas medidas” para responder “aos de-safios da demografia,”, disse.

 E, em períodos de crise, “faz sentido que a despesa social aumente” e que “seja reforçada”, por parte do Estado, porque “é assim que se consegue proteger muitas pessoas”.

 Questionado pelos jornalistas em Aljustrel, onde inaugurou o novo lar da Misericórdia local, o ministro reagia ao relatório do Tribunal de Contas (TdC) sobre o “Acompanhamento da Execução Orçamental da Segurança Social” de 2013.

 Neste documento, o TdC alerta para a subida da despesa no ano passado, respon-sabilizando a precariedade de medidas como o corte de subsídios e a visão de curto prazo do Governo. A mesma entidade refere também, entre outros pontos, um aumento de 5,7% na despesa com pensões em 2013, depois de, em 2012, se ter registado um decréscimo de 0,1%.

 Para o TdC, são necessárias medidas com carácter permanente e apela a uma reestruturação da Segurança Social.

 Confrontado pela Lusa, o mi-nistro da Solidariedade, Em-prego e Segurança Social realçou que o relatório do TdC “demonstra” que, “numa altura de dificuldade, a Segurança Social é a ‘almofada’ social” da população, nomeadamente “de pessoas mais idosas e de pessoas que perderam o seu emprego”.