Desinvestimento internacional na África do Sul atinge mais de 70 biliões de randes em apenas seis meses

0
71

 Investidores estrangeiros deportaram da África do Sul mais de 70 biliões de randes em títulos e acções na bolsa em apenas seis meses, noticiou a imprensa sul-africana.

 Todavia, apesar da enorme saída de capital, o principal índice de acções no país aumentou para cerca de 11%, o que significa que os investidores locais estão a ajudar a sustentar activos sul-africanos, segundo dados avançados pelo canal de televisão ENCA.

 Analistas consideram que “se a situação piorar, o governo terá de solicitar ajuda financeira internacional”, especulando-se uma possível entrada do Fundo Monetário internacional (FMI).

 O director do grupo Inkunzi Wealth, Owen Nkomo, afirmou ao canal noticioso que “há uma perda de confiança no país”.

 “O impacto que decisão de resgatar a Eskom tem sobre o fisco, está a criar uma ima-gem diferente [negativa], e isso não é bom”, afirmou.

 O economista-chefe do Instituto de Relações Raciais (IRR), Ian Cruickshanks, sublinhou que “a África do Sul precisa de investidores es-trangeiros porque precisamos do seu capital”.

 “De alguma forma, temos que mudar para um país rico em capital”, adiantou em declatrações ao ENCA.

 A Moody’s é a única agência de notação financeira a manter a dívida sul-africana acima do estatuto de “lixo”.