Desemprego e redução de horário laboral afectam portugueses no Canadá

0
54
Canadá

CanadáA crise na economia e o desemprego canadianos estão a repercutir-se em inúmeras famílias portuguesas residentes em Toronto, Canadá.

É o caso de Maria, nome fictício pedido à Lusa por uma emigrante portuguesa, de 37 anos, e que face à actual crise económica foi sujeita a uma redução do horário de trabalho na sua fábrica da indústria alimentar, localizada fora de Toronto. “O nosso gerente anunciounos o corte de um dia de trabalho (na produção), com a justificação da crise e da quebra de encomendas”, sublinhou.

“Isto já dura há semanas. Nada posso fazer senão aceitar. Espero é que as coisas voltem ao normal”, acrescentou esta portuguesa, há 12 anos radicada em Toronto, casada e com um filho. A desaceleração em sectores como a construção, actividade que absorve muitos portugueses na região da Grande Toronto,  está igualmente a causar nervosismo e desestabilização em famílias portuguesas. Contactada pela Lusa, Anabela Nunes, do Centro Comunitário de apoio ao Trabalho e Integração da Mulher Imigrante (Working Women Community Centre), em Toronto, referiu que, em virtude da recessão económica, muitas famílias portuguesas foram nos últimos meses a centro em busca de apoios.

“Algumas das famílias portuguesas eram constituídas por homens trabalhadores na construção e que esperavam ser contratados em Abril mas não foram. As mulheres, em geral, trabalham em limpezas domésticas ou em restaurantes”, indicou. “Felizmente alguns puderam voltar ao trabalho em Maio. Mas há outros que continuam no desemprego”, apontou Anabela Nunes, uma açoriana emigrante no Canadá há 17 anos. “A situação de desemprego gera grande tensão e ansiedade na vida familiar.

E como os portugueses são, muitos deles, proprietários de casas, queixam-se de terem medo de não pagarem as hipotecas ou de não terem dinheiro para a educação dos filhos”, exemplificou.