Défice orçamental de Angola poderá aumentar em 2015 para 14% do PIB

0
56
Défice orçamental de Angola poderá aumentar em 2015 para 14% do PIB

A Comissão Europeia anunciou  que deu luz verde a todos os programas operacionais das regiões portuguesas para o período 2014-2020, que visam a execução 9,74 mil milhões de euros de fundos comunitários.

 

 Com estes 9,74 mil milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e do Fundo Social Europeu (FSE), que de destinam a cofinanciar diversos projetos, as regiões portuguesas esperam alcançar um investimento global de 12,2 mil milhões de euros até 2020.

 Segundo um comunicado divulgado hoje pela Repre-sentação da Comissão Euro-peia em Portugal, foram aprovados os programas operacionais 2020 para os Açores, Alentejo, Algarve, Centro, Lisboa, Madeira e Norte e um Programa de Assistência Técnica Nacional, no valor de 168 milhões de euros, dos quais 138 milhões são fundos europeus, do FEDER.

 Este programa complementa os regionais, "garantindo a coerência da sua coordena-ção, gestão, acompanhamento e auditoria", e tem ainda como objetivo "reduzir para dez dias o tempo médio de reembolso dos beneficiários e aumentar o interesse dos cidadãos em questões relacionadas com os FEIE (Fundos Estruturais e de Investi-mento Europeus)", segundo a mesma nota.

 O maior programa operacional é o do Norte, que prevê um investimento total de 4,2 mil milhões de euros até 2020, dos quais 3,8 mil milhões são fundos europeus.

 Segue-se o da região Centro, que ascende a 2,6 mil milhões de euros (2,2 mil milhões europeus) e o de Lisboa, que tem um valor de 1,85 mil milhões de euros, sendo 834 milhões fundos comunitários.

 O programa operacional dos Açores até 2020 ascende a 1,4 mil milhões de euros, dos quais 1,1 mil milhões são verbas europeias, e o do Alentejo é de 1,3 mil milhões (898 milhões europeus).

 Os valores mais pequenos são os do programa do Algarve, que prevê um investimento global de 447,6 milhões de euros, sendo 319 milhões fundos europeus, e o da Madeira, que tem um valor de 403 mi-lhões de euros.

 "Todas as regiões portuguesas irão utilizar os investimentos para melhorar as suas ca-pacidades de investigação e inovação, incluindo a expansão das atividades de investigação das suas pequenas e médias empresas (PME). O referido financiamento irá apoiar estas empresas a tornarem-se mais competitivas e a expandirem-se para os mercados mundiais", diz a Comissão Europeia, no mesmo comunicado.

Também a comissária europeia responsável pela Política Regional, Marianne Thyssen, considerou em Lisboa, segundo o comunicado, que "estes planos colocam todas as regiões portuguesas no caminho da criação de mais e melhor emprego".