Decorreu em Joanesburgo a cimeira das Academias do Bacalhau de África

0
74
Decorreu em Joanesburgo a cimeira das Academias do Bacalhau de África

Decorreu no sábado, 20 de Maio, no Wanderers Club em Joanesburgo, a quarta cimeira anual dos presidentes das Academias do Bacalhau de África, a primeira das quais decorreu na Cidade do Baco.

 Os objectivos e intenções destas cimeiras é para que as Academias trabalhem dentro de uma uniformidade onde os princípios e normas estejam todas percebidas e a ser cumpridas.

 Desta cimeira decorreu, por voto popular, proposto pelo presidente da Academia-Mãe aos restantes, do local onde decorrerá o congresso mundial de todas as Academias no próximo ano. Será na cidade de Joanesburgo ao invés do popular destino turístico de Sun City.

 Desta reunião também saíram pontos comuns para levar ao congresso mundial a decorrer este ano na Ilha Terceira no arquipélago dos Açores.

 Outros dos pontos, levantado pelo compadre Jorge Oliveira presidente da Academia de Luanda, foi reforçar o bom funcionamento das normas dos congressos. Apelou a que todos as Academias paguem as suas quotas anuais, para poder a Academia-Mãe funcionar em pleno com o serviço de Secretaria que é tão reclamado por todos.

 O presidente da Academia de Durban, Hélder da Fonseca, levantou a questão das periodicidades e durações das presidências, visto que há Academias do Bacalhau com presidentes praticamente vitalícios.

 Um ponto alto das discussões foi a newsletter mensal, sugerida e lançada pela Academia de Paris e que foi apadrinhada pela Academia-Mãe e cujos custos, estão a ser suportados pela Academia do Bacalhau de Joanesburgo.

 Todos, sem excepção, votaram a favor da dita newsletter, que funciona a par do Século de Joanesburgo, para noticiar os acontecimentos e agendas das tertúlias.

 Um ponto importante, é a publicação das agendas de actividades, para que todos os compadres e comadres pelo Mundo, possam estar a par dos eventos de cada tertúlia.

 O presidente José Contente apelou, mais uma vez, ao pagamento das quotas, “para que possamos continuar com a newsletter. Isto são custos elevados para nós e sete mil euros por ano é dinheiro que podemos empregar aqui na nossa Beneficência e até a favor da própria Academia-Mãe.

 Por isso, agora na Ilha Terceira, vamos muito mais bem equipados com argumentos e provas concretas de que prestamos serviço às Academias do Mundo e que estamos a trabalhar.”

 O presidente Contente informou os presentes de que um escritório físico está em construção no Lar Rainha Santa Isabel e que já há um Secretariado permanente da Academia-Mãe.

 Também da cimeira decorreu um ponto importante, levantado pelo compadre Jorge Oliveira, de que as Academias do Brasil, Estados Unidos bem como todas as restantes, devem reportar as suas actividades ou falta delas, dado que no congresso mundial em Estremoz, não estiveram presentes todas as 57 tertúlias.

 Assim, com o serviço permanente de Secretariado da Academia-Mãe, com a newsletter e com o trabalho do Século de Joanesburgo, não existem desculpas para falta de comunicação entre as tertúlias.

 O presidente da Academia-Mãe do Bacalhau, José Ma-nuel Contente, agradeceu em primeiro lugar ao compadre Pedro Silva, dono do Silva-Sale no Wanderers Club, pela cedência das instalações e pelo almoço.

 O cônsul-geral de Portugal em Joanesburgo, o compadre Francisco-Xavier de Meireles abriu oficialmente a sessão de trabalhos. “Compadres e comadres, ao presidente da Academia-Mãe, eu agradeço muito o convite e senti-me muito honrado enquanto compadre e enquanto representante do Estado português. Este local, Joanesburgo, tem um significado especial para todos nós compadres porque foi aqui que tudo nasceu. Quero desejar-vos bons trabalhos, frutíferos e lembrar que Academia nasceu para celebrar a solidariedade. Devem, no entanto, as coisas serem uniformes. A igreja católica, é a mesma no Mundo inteiro a três níveis, cardeais, bispos e padres. Permite muita diversidade, há muitas ordens e variações, mas a estrutura da Igreja mantem-se a mesma. A Igreja teve Papas muito diferentes e há espaço para a diversidade mas mantem o centro.

 Devem, portanto, as Academias, manter o essencial, ao pé do “fiel amigo” celebrar a amizade e a portugalidade, mas é importante manter a solidariedade e o trabalho social que as Academias levam a cabo, num Mundo cada vez mais egocentrista e egoísta, tudo é muito diferente hoje da geração que começou o movimento. Mas, há uma coisa que não mudou, é que há cada vez mais pessoas a passarem necessidade e instituições como a Academia são cada vez mais necessárias.

 E necessidades não só monetárias, mas de integração, amizade, entreajuda e este espirito cultural tão vivo dentro deste movimento. A todos, bom trabalho e boa sorte”, concluiu o cônsul-geral e compadre.

 O compadre presidente José Contente retorquiu ao agradecer “muito grato pelas suas palavras, na abertura desta cimeira. O convite foi feito a todas as Academias de África, mas às vezes não é possível estar presente.”

 Os trabalhos foram então iniciados, com a apresentação dos presentes. Estiveram o compadre Jorge Oliveira da Academia de Luanda, Hélder da Fonseca da Academia de Durban, Elídeo Cardoso e José da Silva da Academia de Pretória, o compadre Ivo de Sousa vice-presidente da Academia-Mãe, Jorge Araújo da Academia-Mãe, a comadre Milita Vieira-Pereira e José Vieira-Pereira da Academia-Mãe, o compadre Jorge Simons, compadre Fernando Vale, compadre Pedro Silva, compadre Vasco Pinto de Abreu, todos da Academia-Mãe do Bacalhau. Esteve também o compadre Miguel Aiveca da Academia da Beira, o compadre António David da Academia de Maputo e Arnaldo Paulo da Academia de Nelspruit.

 O compadre Contente leu a acta da cimeira anterior, realizada em Maputo em conjunto com as celebrações do vigésimo quinto aniversário daquela tertúlia.

 O presidente informou ainda de que esteve nos Açores, na Terceira, onde celebrou o décimo quarto aniversário da Academia da Ilha Terceira e anfitriã do congresso mundial a decorrer entre 14 e 18 de Outubro deste ano.

 Os vários pontos de discussão e moções a levar a congresso foram levantadas e debatidas entre todos os presentes. Mais tarde, cerca das 11h30 da manhã, o compadre Gilberto Martins, da Academia-Mãe, juntou-se aos trabalhos para fazer aos compadres das outras Academias, uma apresentação do Congresso Mundial dos 50 anos da Academia de Joanesburgo. Todos, no final, após inquérito do presidente Contente, aprovaram por unanimidade o local do congresso, que irá decorrer em Outubro de 2018 na cidade de Joanesburgo.

 Teve depois a cimeira, cerca das 13 horas, uma pausa para o almoço convívio. Após o repasto, os trabalhos foram retomados para considerações finais e foi proposto pelo presidente da Academia-Mãe, a próxima Academia anfitriã da cimeira, ser a mais recente, a da cidade de Nelspruit. Foi prontamente aceite pelo compadre Arnaldo Paulo, que iria expor a ideia à sua tertúlia e daria uma pronta resposta ao presidente Contente.

 Os trabalhos foram encerrados sob o lema de uma conhecida marca desportiva “Just Do It”, a apelar a menos debate e mais acção na implementação das moções e ideias.