Cristiano Ronaldo marca de cabeça o golo da vitória do Real

0
180
Cristiano Ronaldo marca de cabeça o golo da vitória do Real

Cristiano Ronaldo marca de cabeça o golo da vitória do RealDezoito anos depois, o Real Madrid voltou a conquistar a Taça do Rei. Depois de duas épocas sem ganhar nada, os “merengues” sentem de novo o sabor das vitórias. Obra de José Mourinho, primeiro que todos pela estratégia – os jogadores re-conheceram-no no final ,  depois de Cristiano Ronaldo, autor do grande golo que va-leu o “caneco”, dos “gigantes”

Ricardo Carvalho, Casillas e Pepe e de toda a entreajuda “merengue” ao longo dos 120 minutos.
 Foi preciso esperar 102 minutos. E, depois, mais 18 de sofrimento. Mas a jogada que valeu por todas as outras foi genial. Marcelo e Di María combinaram pela esquerda e o antigo jogador do Benfica cruzou para o segundo poste.
 “Air” Ronaldo elevou-se, aguentou mais tempo no ar que Adriano e cabeceou em cheio, fulminando Pinto, que andou perto da trajectória com as mãos!

 Mourinho voltou a apostar num meio-campo de trabalho, com Xabi Alonso, Pepe e Khedira. Özil, suplente no sábado, foi titular no lugar de Benzema; Cristiano Ronaldo fez de falso “9”. Do lado catalão, Guardiola fez de Mascherano central ao lado de Piqué e manteve o resto.
 Antes da festa, houve azar e sofrimento. A primeira parte é toda do Real. Controlo do meio-campo, corte de muitas das transições do rival e algumas oportunidades para marcar, a maior das quais um cabeceamento ao poste direito aos 45 minutos. Pepe surgiu na zona do “9”, mais forte do que Daniel Alves, depois de um excelente cruzamento de Özil e acertou no ferro. Estava desenhada a forma de bater o Super-Barça.
 No segundo tempo, só deu Barça durante todo o jogo e valeu Casillas. O internacional espanhol defendeu tudo.

 Remates de Iniesta, de Pedro, de Messi. Sempre a brilhar. Aos 70 minutos, o auxiliar viu (bem) um fora-de-jogo de Pedro antes de rematar para as redes, depois do momento mais intenso da “Pulga”.
 E, aos 90 apenas, os madridistas deram os primeiros sinais de vida. Di María flectiu para o meio e rematou com o pé direito. Aí brilhou Pinto.
 No prolongamento tudo voltou a ser mais equilibrado. E, Ronaldo, que até aí não tinha tido muito discernimento, apontou o seu segundo golo aos “culé” apenas cinco dias depois do primeiro, de penalty, no Bernabéu. Sentia-se que o Real Madrid estava finalmente muito perto da conquista do troféu e o Barça também o sentiu. Até ao fim, os “Blancos” fecharam-se e, sempre no contra-ataque, até podiam ter morto o jogo por intermédio de Adebayor e Ronaldo.

 No entanto, nem a expulsão de Di María, com o segundo amarelo, depois de derrubar Messi, iria desequilibrar o encontro a favor dos catalães.
 Aí está! Ao terceiro jogo a primeira vitória. E tudo “estranhamente” equilibrado.
 O Barça goleou na primeira volta por 5-0, empataram no sábado no Bernabéu (1-1) e agora há um triunfo “merengue” na garganta de Pep.
 Faltam dois embates, a contar para as meias-finais da Liga dos Campeões.  Pep Guardiola voltou a mostrar serenidade na hora da derrota. O Barcelona perdeu a Taça do Rei para o Real Madrid e o técnico fez questão de felicitar o rival. Sobre a sua equipa, o catalão acredita que vai recuperar.

Sérgio Ramos deixou cair a Taça do Rei do autocarro

   Sérgio Ramos deixou cair a Taça do Rei do alto do autocarro do Real Madrid.
 O troféu foi atropelado e esteve por alguns momentos debaixo do veículo, até ser resgatado.
  Depois do incidente a Taça foi guardada e não voltou a ser mostrada, nem esteve exposta na Praça Cibeles, onde a equipa se juntou aos adeptos para a celebração da conquista, garantida com a vitória sobre o Barcelona por 1-0. Sérgio Ramos assegurou depois  que o troféu “está bem”, apesar da queda.

  A festa foi rija, com milhares de pessoas no tradicional ponto de festejos do Real Madrid. O guarda-redes Casillas subiu à fonte, pôs uma bandeira na estátua da deusa Cibeles e deu-lhe um… beijo.
  No fim da festa, José Mourinho não voltou com a equipa no autocarro, tendo sido levado num veículo policial.

Taça “recupera” e já está exposta

  A Taça do Rei “sobreviveu” ao atropelamento. Aparentemente “recuperado” do atropelamento, o troféu conquistado pelo Real Madrid já está exposto no Estádio Santiago Bernabéu.
  Algumas horas após a vitória sobre o Barcelona, já na Praça Cibeles, Sérgio Ramos deixou cair a taça do primeiro andar do autocarro, sendo que o veículo ainda passou por cima do troféu.
 Um incidente que, ao que parece, não terá provocado estragos significativos. Dez horas depois, a Taça do Rei foi exposta no museu “merengue”.