Covid-19: Comércio em Portugal quer reabertura em Maio com material de protecção e transportes

0
115

O presidente da Confederação do Comércio Português (CCP) considerou essencial que a progressiva retoma da actividade económica, a partir de Maio, seja acompanhada pela existência de material de protecção e serviço eficaz de transportes públicos.

João Vieira Lopes falava após a reunião entre as confederações patronais e o primeiro-ministro, António Costa, em São Bento, sobre as condições para o relançamento da economia portuguesa, após ser ultrapassada a fase mais crítica do combate à pandemia de covid-19.

“Durante o mês de Maio, deve haver condições para existir retoma da actividade económica. Na nossa opinião, essa retoma deve obedecer a algumas condições”, disse.

Segundo o presidente da CCP, para haver condições de segurança nessa reabertura da actividade, “o Governo tem de garantir que exista no mercado máscaras, luvas e material de desinfecção”.

“Tem de haver também um sistema de transportes públicos em condições adequadas ao actual momento”, completou.

Do ponto de vista económico, João Vieira Lopes advertiu também que, “para haver público consumidor, tem de haver uma retoma progressiva de confiança”, dizendo em seguida que há exemplos que Portugal pode seguir nesta fase pós-crise sanitária, como a Suécia, República Checa e Áustria.

Pela parte da Confederação da Agricultura de Portugal (CAP), foi transmitido aos jornalistas que o Governo demonstrou “abertura” no sentido de que a “eventual importação” de mais trabalhadores, tendo em vista fazer face às necessidades das colheitas, seja acompanhada por garantias de segurança em termos de saúde pública.