Covid-19: África do Sul anuncia primeiras duas mortes, mais de mil infectados

0
95

A pandemia da covid-19 causou esta sexta-feira os primeiros dois mortos na África do Sul, que ultrapassou já a barreira dos mil infectados, anunciou o ministro da Saúde.

“Registámos os nossos primeiros mortos da covid-19. Duas pessoas morreram na província do Cabo Ocidental”, no sudoeste do país, declarou Zweli Mkhize.

As vítimas da doença são duas mulheres, de 48 e 28 anos

O responsável adiantou que o número de casos confirmados “ultrapassou a barreira do milhar”, de acordo com um comunicado.

A África do Sul iniciou, às 00:00 desta sexta-feira três semanas de confinamento geral no país.

O Governo destacou militares e agentes policiais para impor um recolher obrigatório de 21 dias para conter a pandemia da covid-19.

O Presidente da República e comandante em chefe das Forças Armadas do país sublinhou que o destacamento militar, decretado para ajudar as forças de segurança a manter as pessoas em casa, “não é de força, mas para a proteção dos cidadãos”.

“A vossa missão é a de salvar vidas, não somos o único país em guerra contra um inimigo invisível – o coronavírus”, declarou Cyril Ramaphosa. 

Os militares da Força de Defesa Nacional da África do Sul (SANDF, na sigla em inglês) e os efetivos da polícia sul-africana (SAPS, na sigla em inglês) foram destacados no âmbito do estado de desastre nacional (em vigor desde 15 de março) e do confinamento nacional de 21 dias agora declarado.

A província de Gauteng, envolvente a Joanesburgo e motor da economia da África do Sul, com um quarto da população de 57 milhões de habitantes, é o epicentro da pandemia no continente africano com mais 400 casos positivos da covid-19 confirmados pelas autoridades sul-africanas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais 505 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 23.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente africano registou até hoje 87 mortes devido ao novo coronavírus, ultrapassando os 3.200 casos, em 46 países.