Costa diz que “tranquila passagem de testemunho” nas Finanças é no “timing certo”

0
120

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu que a mudança de ministro de Estado e das Finanças é “uma tranquila passagem de testemunho”, considerando que “este é o `timing´ certo” para esta alteração.

  No briefing final do Conselho de Ministros de  – que foi bem mais curto do que os recentes do período de covid-19 – estiveram lado a lado o primeiro-ministro, António Costa, o ministro das Finanças cessante, Mário Centeno, e o actual ti-tular da pasta, João Leão.

  “Aquilo que a nossa presença aqui dos três, o trabalho que desenvolvemos em conjunto ao longo destes mais de cinco anos significa é que há uma tranquila passagem de testemunho que enfatiza essa continuidade da política”, afirmou António Costa.

  Questionado sobre o momento desta saída, o primeiro-ministro considerou que este “é o `ti-ming´ certo”.

  “Não só temos em execução plena o Orçamento do Estado para 2020 como temos aprovado ao nível do Governo a proposta de Orçamento Suplementar que adapta o Orçamento do Estado para 2020 a essa realidade nova que veio surpreender a nossa vida colectiva com a emergência do covid no princípio de Março”, justificou.

  O chefe do executivo garantiu que “não há qualquer alteração da política”, lembrando que o ministro cessante e actual participaram ambos “na equipa inicial que elaborou o cenário macroeco-nómico”.

  “Portugal não perde um ministro de Estado e das Finanças, Portugal muda o seu ministro de Estado e das Finanças. Sai Mário Centeno, entrará João Leão”, desdramatizou.