Cooperação militar Maputo-Lisboa pode aprofundar-se nas áreas da formação e saúde

0
174
Cooperação militar Maputo-Lisboa

Cooperação militar Maputo-LisboaA formação de quadros nas forças armadas e os serviços de saúde militares são áreas em que se pode intensificar a cooperação entre Portugal e Moçambique no domínio da Defesa.

À chegada a Moçambique, no início de uma visita oficial de quatro dias, o Chefe de Estado- Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) português, Valença Pinto, considerou aquelas áreas passíveis de “algum reforço” no âmbito da cooperação técnico-militar.

“A nossa cooperação está viva e recomenda-se, mas há sempre espaço e vontade das duas partes para aprofundar ainda mais (…). A formação de quadros, um dos pontos fortes da minha visita aqui, e a saúde, em que as FA têm alguma disponibilidade, são áreas em que há espaço para algum reforço”, disse o CEMGFA português. Paralelamente, Valença Pinto adiantou ser possível “rever a coordenação” das acções em curso no âmbito da cooperação entre Lisboa e Maputo no domínio da Defesa.

“Vamos identificar com as autoridades moçambicanas aquilo em que Portugal pode ser útil e recolher (dados) das reflexões e experiências que certamente são muito úteis para nós”, acrescentou. A cooperação técnico-militar com Moçambique envolve actualmente dez projectos e a presença permanente no país de cerca de 20 formadores militares portugueses.