Convívio de Natal da Liga da Mulher Portuguesa

0
15
Convívio de Natal da Liga da Mulher Portuguesa

Em convívio realizado na ma-nhã do penúltimo sábado, 3 de Dezembro, em aposentos da ACPP utilizados como sede social, a Liga da Mulher Portuguesa promoveu na capital sul-africana o seu convívio de Natal, nele marcando presença um bom número de membros da liga, assim como da Universidade Sénior Boa Esperança, entre as quais, os comendadores Estevão Rosa, Manuela Rosa e Mário Ferrei-ra, a chanceler da embaixada, Carlota Amorim, e os presidentes, da ACPP, Américo Pimentel, e a da Associação de Bem-Fazer “Os Lusíadas”, Paula de Castro; e Helena Rodrigues pelo Conselho das Comunidades.

 Nesta confraternização, onde foram postos à venda os livros intitulados “My Portuguese Feast”, da autoria de Mimi Jardim, que por motivos imprevistos de última hora a impediram de estar presente, assim como exposição para venda, de bordados, cosméticos e artigos de cerâmica, bem como à entrada das instalações ornamentos de Natal, usou da palavra a presidente da Liga da Mulher, na capital sul-africana, Manuela Calado, para depois de a todos saudar, dar as boas-vindas, agradecer a presença de cada um ali naquela manhã, e se mostrar reconhecida a quem consigo colaborou no evento, se referir nestes termos, apropriados à quadra que se começa a viver:

 Amor, para dar e receber; – Bondade, para os corações que não têm a necessária; – Coragem, para enfrentar os problemas do dia-a-dia; Decisão, poder decidir com a mente e com o coração; – Esperança, que seja a última a morrer; – Felicidade, todos merecem ser felizes; – Generosidade, dar sem esperar receber; – Honestidade, ser honesto é virtude; – Igualdade, mesmo que as pessoas sejam diferentes; – Justiça, porque a injustiça é cruel; – Liberdade, é um bem precioso; – Moral, para saber distinguir o bem do mal; – Nacionalidade, todos devem ter uma nação; – Orientação, que ninguém se sinta perdido; – Paz, porque a guerra não pode vencer; – Qualidade, não interessa ter muitos se não forem bons amigos; – Respeito, respeitar e ser respeitado; – Saúde, para o corpo e para a mente; – Tranquilidade, mesmo nos momentos mais difíceis; União, porque a união faz a força; – Valentia, porque a coragem é a mais forte; – Xarope e outros medicamentos, não faltem a ninguém; – Zelo, temos que zelar uns pelos 

outros.    

 Neste certame cheio de simbolismo, onde actuaram, Cláudio Alho ao acordeão, e o grupo coral da USBE em trechos alusivos à quadra natalícia, dedicados ao nascimento do Menino Jesus, foram pela jovem Gabriela Rodrigues e sua avó, comendadora Manuela Rosa, recitados poemas dedicados à quadra que se começa a viver, e por Manuela Calado reconhecidas com ramos de flores, a comendadora Manuela Rosa, as membros da sua direcção, Helena Sofia Rosa Rodrigues, Jennifer Calado Alho e Salete Gonçalves, assim como a 

outras colaboradoras, nomeadamente as senhoras que ali viram premiados em concurso de culinária, os artigos que confeccionaram e trou-xeram para este dia, no-meadamente Fátima Ferraz, Teresa de Gouveia e ela pró-pria presidente da Liga, esta em típicas rabanadas, todos os presentes foram a seguir convidados a saborear a grande variedade de iguarias de toda a espécie ali expostas, em rissóis, pastéis de nata, bolos de bacalhau, salgados, panados, folhados, sonhos, cavacas, enfim uma grande variedade de doçaria, acompanhados de sumos, café ou chá, e outras bebidas, onde nem faltou o champa-nhe, e por se tratar do último convívio do ano, Manuela Calado desejar a todas as senhoras e cavalheiros ali presentes, e suas famílias um Santo Natal e as maiores prosperidades para o novo ano que se aproxima.