Consulado geral de Portugal no Luxemburgo em risco de colapso

0
59

Os conselheiros das comunidades portuguesas no Luxemburgo alertaram na terça-feira para o risco de colapso do Consulado geral de Portugal naquele país devido à falta de recursos humanos suficientes e de equipamentos informáticos.

 Em comunicado, os representantes eleitos pelos Luxemburgo no Conselho das Comunidades Portuguesas alertaram a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, que na terça-feira terminou uma visita de dois dias ao Luxemburgo, para a falta de “recursos humanos suficientes e equipamentos informáticos necessários” para o Consulado poder responder a quem a ele recorre.

 “Quem pede para renovar um cartão do cidadão, passaporte ou solicita qualquer outro acto previsto na lei, nomeadamente no regulamento consular, não deveria esperar até Junho para obter o respectivo documento”, lê-se na nota enviada pelos conselheiros, que consideram a situação inaceitável.

 Segundo estes representantes da comunidade portuguesa, os “atrasos crónicos” têm levado muitos cidadãos a preferir “ir a Portugal ou, em alternativa, recorrer a intermediários que atuam à margem da lei”.

 “Os mesmos intermediários ilícitos que, perante o desespero dos cidadãos, comercializam e cobram marcações, não asseguram a protecção dos dados pessoais dos que a eles recorrem, nem a qualidade das informações que prestam, usando descaradamente denominações que criam confusão com organismos públicos portugueses”, prossegue a nota.

 E acrescentam: “Esta in-capacidade crónica da rede consular criou uma situação massiva de procuradoria ilícita que se estende já por vários países e continentes, bastando para tal fazer uma pesquisa nas redes sociais ou no Google”.

 Os conselheiros defendem que o modelo de uma “loja do cidadão consular” seja “estudado e enquadrado”.

 “Não se fazendo nada, o consulado irá certamente colapsar, o que será prejudicial para todos, não merecendo a comunidade portuguesa tal destino”.

 Os portugueses são a maior comunidade estrangeira no Luxemburgo, com cerca de 95.000 pessoas, o que representa cerca de 16 por cento da população luxemburguesa.