Consulado de Portugal em Londres em risco por causa de impasse sobre instalações

0
56
Consulado de Portugal

Consulado de PortugalO consulado geral de Portugal em Londres pode ficar sem instalações se não renovar em breve o contrato de arrendamento, que termina no Verão, alertou o deputado do PSD pelo círculo da Europa, Carlos Gonçalves.

 “Portugal tem um contrato de aluguer do espaço até ao mês de Julho ou Agosto e, se não resolver a questão, se fica com as instalações ou arranja [outras] instalações, arriscamos a ficar sem espaço para o consulado de Portugal”, afirmou.
 Carlos Gonçalves esteve de visita a Londres onde recebeu, em nome do grupo parlamentar do PSD, o prémio do jornal “As Notícias” para a “Figura política da Emigração”.

 O deputado lamentou que o Governo não tenha resolvido a situação e que tenha criado expectativas com “promessas a vários níveis”, do grupo parlamentar do PS ao secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga.
 Em Junho, o deputado socialista Paulo Pisco deu conta de que estavam em estudo três localizações alternativas na capital britânica e em Setem-bro de 2010 o secretário de Estado garantiu que a mudança de instalações seria feita até Janeiro de 2011 e que o novo espaço permitiria reduzir o tempo de espera de várias semanas para apenas 10 minutos.

 Recentemente, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, reconheceu na Assembleia da República que “não havia espaço nenhum, que não tinha sido encontrada solução e que ficaria para outros tempos”, referiu Carlos Gonçalves.
 O deputado social-democrata considera a “situação preocupante” e alertou para os riscos para a comunidade portuguesa residente no Reino Unido e também para a imagem de Portugal.

 “Sempre achei que o espaço pode ser um problema e que se poderá arranjar um espaço que permitirá melhorar, mas o problema do consulado de Londres é que tem em termos de recursos humanos uma grande limitação”, vincou.
 Em Londres, acrescentou, há cerca de 15 funcionários, quando consulados da mesma dimensão, como o consulado de Paris, “tem praticamente 90 funcionários, quase duas dezenas de chefias”.

 “Os serviços prestados pelo consulado de Portugal são claramente insuficientes para a comunidade aqui residente e isso cria um problema no dia a dia e põe causa também a ligação da comunidade ao país”, afirmou.