Consequências do “lockdown”: Economia sul-africana caiu 51% até agora devido às restrições

0
129

Na terça-feira 8 de Setembro o governo sul-africano divulgou dados que mostram que a economia do país caiu 51% no segundo terço do ano, a quarta contracção seguida e maior de que há registo, devido às fortes restrições do “lockdown” impostas no país para impedir o alastramento do novo coronavírus.

  O país mais industrializado do continente africano foi fortemente abalado pela pandemia, com o sétimo número mais alto de infecções no Mundo, apesar de ter muito menos mortes devido ao vírus do que outros países.

  “É a primeira vez na História que a economia sul-africana contrai durante quatro terços seguidos”, Risenga Maluleke declarou a uma conferência de imprensa. O Rande caiu para o valor mais baixo de sempre contra o dólar americano, para 1 dólar a dar 16, 93 randes.

  Joe de Beer, membro director da Statistics South Africa, afirmou que após o ajustamento para a inflacção a economia está no mesmo volume que no primeiro trimestre de 2007.  A maioria dos sectores decaiu fortemente, exceptuando o sector agricola, que cresceu 15,1% no segundo terço de 2020 de Janeiro até Março, coadjuvado pela exportação de frutas e a uma precipitação acima da média no Inverno.

  O sector mineiro decaiu 73.1%, o sector fabril 74.9% e a construção 76.6%. O Produto Interno Bruto (PIB) do país contraiu 17,15% face ao mesmo período em 2019.

* Tempos dificeis

  Jeff Schultz, economista no BNP Paribas, afirmou que o impacto global da pandemia exacerbado pelos cortes de electricidade, iriam inibir a recuperação económica. “Irá demorar muito tempo para chegarmos aos níveis pré-pandemia”, afirmou Schultz. O governo espera que o PIB caia pelo menos 7% este ano, uma previsão preocupante num país onde o desemprego estava na casa dos 30% antes do covid-19.