Conselho de Paris com número recorde de lusodescendentes elege Anne Hidalgo

0
60

Anne Hildalgo foi reeleita oficialmente como presidente da Câmara de Paris com um número recorde de quatro conselheiros de origem portuguesa no órgão municipal com mais poder da capital.

  Apesar de ter vencido nas urnas, a configuração política e territorial de Paris faz com que o autarca da capital tenha de ser eleito pelo conselho municipal, através do voto de 163 grandes eleitores que são os conselheiros de Paris.

  Este ano, e para o mandato de seis anos que acaba de começar, entre estes 163 eleitos há quatro que são de origem portuguesa, um número recorde de representação da comunidade nacional na maior cidade gaulesa.

  “Temos eleitos lusófonos e isso é uma boa notícia. Espero que possamos reunir esforços sobre algumas vontades, como o ensino da língua portuguesa”, afirmou à Lusa Hermano Sanches Ruivo, que tomou posse como vereador-adjunto de Anne Hidalgo com a responsabilidade da pasta da Europa.

  Este é o segundo mandato de Sanches Ruivo com a autarca parisiense, tendo sido eleito novamente pelo 14.º bairro. Também para o socialista Jean-François Martins, eleito pelo 11.º bairro, foi uma renovação do mandato, tendo perdido, no entanto, o lugar de vereador.

  Já para Bárbara Gomes é uma estreia. A jovem de 33 anos foi eleita no 18.º bairro integrando a lista comunista a convite de Ian Brossat, porta-voz do Partido Comunista Francês, que juntou forças a Anne Hidalgo para manter a esquerda à frente da capital.

  “Quero trabalhar sobre temas importantes para as pessoas, especialmente para quem não tem voz para ser ouvido. E uma das grandes temáticas para mim são as pessoas que têm trabalhos em plataformas como a Uber, porque isso é uma exploração e vê-se muito no 18.º bairro”, disse esta francesa com origens em Vila Nova de Gaia.

  Apesar de ser a primeira experiência como representante política, Bárbara Gomes é doutorada em Direito do Trabalho e colaborou até agora no meio sindical com a CGT, uma das maiores centrais sindicais de França, chegando a representar França na Confederação dos Sindicatos Europeus.

  Outro estreante como conselheiro municipal é Gérard Loureiro, preparador físico e professor de boxe, que foi número dois na lista da direita no 19.º bairro da capital e integrará a oposição até 2026.

  Anne Hidalgo escolheu para este mandato 37 vereadores-adjuntos com as mais diversas temáticas, desde o rio Sena, até à prevenção da obesidade (incluída na pasta da Saúde) ou ainda a memória. Tendo a pasta da Europa, Hermano Sanches Ruivo quer agora sensibilizar os colegas.

  “A questão do financiamento é importante. Tenho de convencer os meus colegas que os financiamentos europeus são importantes e que a Europa não dá dinheiro, mas dá sim objectivos aos quais temos de responder”, sublinhou.