Conjunto português “A Naifa” actuou em Pretória no Dia da Mãe

0
86
Conjunto português

Conjunto português Dando continuidade a uma celebração de grande significado, mantida desde longa data e em anos sucessivos pelas nossas colectividades na cidade de Pretória, o Dia da Mãe voltou a ser comemorado com relevo, na noite do penúltimo sábado, 7 de Maio, com concorrido jantar na Casa Social da Madeira, e no dia seguinte, domingo, com almoço servido a mais de quinhentas pessoas na ACPP, cada qual com enchente, e o evento vivido nos dois lados com grande alegria e entusiasmo, na agremiação madeirense com actuação dos cançonetistas da comunidade, Victor Tavares e Damião de Freitas, e a música para o animado baile a cargo da discoteca da juventude ali envolvida, e na Associação da Comunidade Portuguesa de Pretória, com um “show” pelo conjunto musical português “A Naifa”, e música de fundo da discoteca Sounds GR-8.

 Recorda-se que, como previamente anunciado e o nosso jornal deu grande destaque, o conjunto musical “A NAIFA” veio a África a convite da Embaixada de Portugal, tendo nesta sua viagem actuado a 27 de Abril no festival musical de Moitsong, em Gaborone, no Botswana, e a 6 de Maio, no Teatro Municipal de Windhoek, na Namíbia, para nesta festa de 8 de Maio, dedicada ao Dia da Mãe na ACP de Pretória, encerrar essa sua digres-são a esta parte do continente africano, já que findo o concerto deste dia regressava a Portugal, pelo que soubémos dos seus componentes, radiantes pela forma como foram recebidos, tratados e acarinhados em todas as suas actuações, que consideraram positivas em todos os aspectos.

 Constituído por Maria Antónia Mendes como voca-lista, nas suas interpreta-ções a demonstrar grande concentração e alma na voz; Samuel Palitos na do-minação perfeita dos instrumentos de percussão; Sandra Baptista viola baixo; e Luís Varatojo a demonstrar perfeição no domínio da guitarra portuguesa, o quarteto musical terá deixado boa impressão à grande assistência que presenciou este espectá-culo de salão repleto na ACPP, uma enchente que para festejar o Dia da Mãe, há anos não se registava na colectividade.

 Depois do sucesso de Quim Barreiros, seguindo-se este agora do conjunto musical “A Naifa”, a ACP de Pretória parece estar a voltar às grandes enchentes do antigamente, esperando-se, pelo menos tudo parece indicar que sim, e o próprio presidente Mário Ferreira acredita e tudo fará para o conseguir, o próximo da consagrada fadista Ana Moura volte a en-cher o salão nobre, e como esse líder directivo ali referiu na sua intervenção, até é muito provável que não venha a haver lugar para todos, daí apelar às pessoas interessadas em assistir a esse espectáculo, marcado para 10 de Junho, para procederem quanto antes à aquisição dos respectivos bilhetes, a fim de não ficarem desa-pontados.

 Voltando aos referidos festejos do Dia da Mãe nesse fim-de-semana, no da Casa Social da Madeira há a acrescentar as palavras do presidente dessa agremiação madeirense, Damião de Freitas, para mediante a afluência registada e a alegria que ali reinava, alegar que a CSM não morreu, e ao contrário está bem viva, convidando a propósito os presentes ali nessa noite, para se certificarem do adiantamento das obras que contíguas às instalações onde se encontravam, decorriam para construção do novo salão, onde pelos seus cálculos já será festejado o próximo aniversário da colectivida-de marcado para 14 de Agosto, terminando o seu improviso com felicitações a todas as mães que ali confraternizavam, e de reconhecimento a todas as senhoras que consigo co-laboraram em serviços de cozinha e decoração das instalações onde decorria o convívio.

 Como habitualmente vem acontecendo nestes festejos, foram entregues recordações a todas as mães presentes, e distinguidas com prendas especiais a mãe mais jovem, Sílvia Gomes de vinte e sete risonhas primaveras, à mais idosa, Fernanda Chadinha de 83 anos de idade, e com mais filhos (9), Maria Coutinho, tantos como a mais idosa Fernanda acima indicada, mas como aquela já havia sido presenteada pela idade, foi resolvido atribuir-se este prémio a outra sua conterrânea do Estreito da Calheta, donde ambas por sinal são naturais.

 Na ACPP, onde marcaram presença ao almoço o embaixador João Ramos Pin-to acompanhado de sua esposa Maria Anna Ramos Pinto, e o secretário da embaixada Pedro de Almeida com sua mulher Ma-falda Almeida, o presidente da colectividade, Mário Ferreira, baseou nessa tarde as suas palavras de felicitações a todas as mães que ali conviviam e a festa era dedicada, e de agradecimento ao grupo de senhoras da comissão de festas liderada por Ibraim dos Santos, que colaboraram nos festejos, tanto na decoração do salão, como na ajuda aos serviços de cozinha, e ainda nas lembranças com que todas as mães presentes foram distinguidas. 

 A respeito das lembranças com que a ACPP homenageou as mais de cento e setenta mães, diremos terem sido este ano inéditas, na medida em que se destinam a perpetuar o acontecimento, traduzidas na foto tirada a cada casal à entrada para o almoço, e com a devida moldura entregue à tarde a cada mãe, gesto bem apreciado por todas elas, que não se cansavam de admirar a relíquia e enaltecer a feliz ideia, pelos desabafos que presenciamos, consideradas de inestimável valor.

 Foram na verdade duas festas muito concorridas e vividas por todos com grande entusiasmo e sentimento, que muito dignificam quem as promoveu, e pelo significado realçado o valor da mãe no seio familiar, e como mulher no quotidiano que anualmente vem sendo sublinhado, em educação dos filhos, daí o respeito, gratidão e estima que os filhos devem ter por suas mães, por vezes tão injustamente esquecidas.