Confirmadas datas para a oficialização da Academia de Kinshasa e para Congresso Mundial no Porto

0
44

Na quinta-feira estiveram 19 pessoas, entre compadres e comadres, no restaurante “Rodízio” em Bedfordview para a reunião semanal da Academia do Bacalhau de Joanesburgo.

 Os presentes foram recebidos com entradas de ameijoas à espanhola e feijoada à brasileira.

 O almoço foi oficialmente aberto pelas 13h30 pelo compadre José Contente ao soar o badalo e inquirir se estavam reunidas “condições para começar o almoço”. O presidente pediu que o “tom” do “Gavião de Penacho” fosse dado pela comadre Teresa Carrasco, comadres das Academias de Luanda e de Lisboa.

 O compadre José Contente deu as boas-vindas a todos os presentes em torno da mesa do almoço, com especial referência para o compadre Lino Faria, da Academia de Pretória, presente no almoço daquela tarde.

 A tarefa de “carrasco” da tarde foi incumbida ao compadre Jorge Araújo, uma escolha que foi do agrado de todos e bastante aplaudida. O primeiro prato, o da sopa de caldoverde, foi servido. A sopa estava boa, o caldo fluido e a couve bem cortada.

 Para o prato principal, o presidente deu amnistia aos compadres e comadres e a oportunidade de escolha entre rodízio de carne, especialidade da casa e, o prato de bacalhau com natas. De notar que as várias carnes estavam muito bem grelhadas e foram servidas a todos os que optaram pelas carnes, acompa-nhadas de banana frita, batata frita, esparregado e abóbora cozida.

 O prato de bacalhau com natas estava muito bom e foi do agrado de todos que optaram por degusta-lo. O peixe era abundante no prato, bastante cremoso e com uma inovação, batatas fritas às rodelas. Muito estaladiças, deu um gosto diferente ao prato típico português.

 Após o prato principal ter sido degustado e levantado da mesa, o presidente Contente fez soar o badalo e interveio. “Caros compadres e comadres, desculpem lá interromper as vossas conversas, o almoço está muito animado, um ambiente espectacular hoje. Mas, permitam-me informa-los de que está já decidido, está confirmado que a oficialização da Academia de Kinshasa é para o 6 e 7 de Abril deste ano, portanto antes da Páscoa. Estive a pesquisar na Internet e a fazer umas chamadas telefónicas, os vistos não são assim tão caros quanto nos fizeram ver. Não são os 500 dólares americanos, depende do período que se permanece lá no Congo. Eu estive a ver, para oito dias, fica em cerca de 1500 randes. Portanto, quem quiser acompanhar-me, é mais do que bem-vindo e vamos oficializar mais uma destas nossas belas tertúlias.”

 “Em relação ao Congresso Mundial das Academias, a decorrer na cidade do Porto em Portugal, o compadre César Pina já regularizou a situação com o pagamento das anuidades. As quotas estão pagas e por isso, eu na qualidade de presidente da Academia-Mãe do Bacalhau e pelo nosso estatuto, oficializei as datas. Tomem nota compadres, quem quiser ir a Portugal para participar no Congresso, será de 16 a 20 de Outubro deste ano.”

 “O programa será similar ao que houve aqui em Joanesburgo, portanto, um dia de golfe no campo que há em Espinho, na quarta-feira, depois na quinta-feira e a recepção, e no Yatman hotel e também será onde decorrerá a reunião dos presidentes das Academias. Há um jantar de boas-vindas no primeiro dia, na quinta, no Palácio da Bolsinha, haverá também uma viagem pelo Rio Douro. Ainda não vos posso confirmar preços, mas ao que parece está estruturado duma maneira que andará à volta dos cerca de 350 euros, mais ou menos, 5600 randes. Só a participa-ção no Congresso, fora viagens e acomodação.”

 O presidente pediu depois que a comadre Teresa Carrasco dirigisse umas palavras aos presentes.

 “Muito boa tarde, caros compadres e comadres, queria agradecer o fantástico almoço de hoje. Eu como faço Lisboa, Luanda e Joanesburgo, vejo que o espírito de Portugal é igual em todo o lado. O que é muito bonito e bom de se ver. Vão ter comigo mais vezes, em lunda são sempre bem-vindos e em Lisboa igualmente. Eu sempre que vier cá a Joanesburgo e tiver oportunidade estarei presente no almoço. Obrigado”, rematou a comadre Carrasco.

 O presidente informou que estará ausente na semana de 18 de Março, mas que haverá almoço igualmente no Rodízio, que deixa a cargo dos vice-presidentes que queiram dirigir o repasto.

 “Vamos também, relembro, ter a nossa Assembleia-Geral na quinta-feira, vai ser no Lar, vamos apresentar e rever as contas e, claro, vamos ter eleições para um novo presidente”

 A palavra foi depois dada ao “carrasco” da tarde, o compadre Jorge Araújo.

 Por haver garrafas de whiskey em reserva e por ter patrocinado uma garrafa de vi-nho do Porto, o “carrasco” apenas “multou” todos os presentes em 30 randes.

 O compadre honorário Salvador Pais Pereira pediu depois a palavra.

 “Boa tarde a todos, eu estou isento de multas por três anos, mas, todavia, vou dar uma oferta para a Academia de 10 mil randes. Quando a senhora estiver a passar recibos ali, a comadre Analiza, eu gosto de comer e pagar por aquilo que como. Nascemos todos iguais e devemos morrer todos iguais, é assim que é a democracia direita, quando estiver livre presidente, passe no meu escritório para lhe dar o cheque para a Academia”, afirmou o compadre honorário Pereira. Recebeu uma ovação pelo donativo feito à tertúlia. O presidente Contente afirmou que o compadre honorário SP Pereira tem sido um grande patrocinador da Academia e da Beneficência, pagou várias vezes os almoços e inclusive no aniversário do presidente, também patrocinou o repasto daquela tarde.

 O almoço foi então encerrado com entoar do refrão da Marcha da Academia e com o último “Gavião de Penacho”. Os cafés foram levados para a mesa, acompanhados pelos cafés e muitos permaneceram em conversa durante a tarde.