Comércio da China com a lusofonia aumenta para o dobro

0
50
Comércio da China

Comércio da ChinaO comércio entre a China e os países de língua portuguesa aumentou 91 por cento até abril para 25 089 milhões de dólares (20 706 milhões de euros) face a igual período de 2009, indicam dados oficiais.

 Dados dos Serviços de Alfândega da China divulgados a semana passada indicam que Angola e Timor-Leste registaram as maiores subidas percentuais nas trocas comerciais com o gigante asiático, de 169 por cento e 123 por cento, respectivamente, enquanto que São Tomé e Príncipe, que não tem relações diplomáticas com Pequim, teve a subida mais ligeira, de 21,6 por cento.

 Todos os oito países de língua portuguesa registaram acréscimos no volume de trocas comerciais com a China entre janeiro e abril.
 As importações da China face aos oito países lusófonos aumentaram 108 por cento nos quatro primeiros meses do ano para 17 459 milhões de dólares (14 403 milhões de euros), ao mesmo tempo que o volume das exportações chinesas também registava uma subida homóloga de 60 por cento para 7 630 milhões de dólares ou 6 294 milhões de euros.

 O Brasil, com 15 mil milhões de dólares (12,3 mil milhões de euros) de trocas comerciais – dos quais 8 875 milhões de dólares (7 321 milhões de euros) resultaram de vendas à China – mantém-se como principal parceiro lusófono do gigante asiático e viu os negócios aumentarem 68 por cento até abril face a igual período de 2009.

 A China tornou-se em 2009 no maior parceiro comercial do Brasil, ultrapassando os Estados Unidos.
 Da China para o Brasil, seguiram produtos no valor de 6.175 milhões de dólares (5.000 milhões de euros), uma subida de 95 por cento face aos primeiros quatro meses de 2009.

 Angola é o segundo maior parceiro chinês no universo da lusofonia, tendo alcançado trocas comerciais no valor de 8.940 milhões de dólares (7.374 milhões de euros) até abril, mais 170 por cento face a igual período de 2009 e correspondendo a vendas angolanas de 8.337 milhões de dólares (6.877 milhões de euros) e vendas da China de 602 mi-lhões de dólares (497 milhões de euros).
 No terceiro lugar surge Portugal, que concretizou negócios com a China de apenas 890 milhões de dólares (734 milhões de euros), dos quais 687 milhões de dólares (567 milhões de euros) de compras à China e 202 milhões de dólares (166 milhões de euros) de vendas, mais 24,3 por cento e 80,6 por cento, respectivamente, face aos quatro primeiros meses de 2009.

 No âmbito das trocas comerciais, a China comprou entre janeiro e março aos oito paí-ses de língua portuguesa produtos no valor de 17.459 milhões de dólares (14.403 milhões de euros) e vendeu produtos no valor de 7.629 mi-lhões de dólares (6.293 milhões de euros).
 Só em abril, as trocas comerciais entre a China e a lusofonia atingiram 7.807 milhões de dólares (6.439 milhões de euros), o que representa um aumento de 19 por cento face ao mês homólogo de 2009, com as importações da China a atingirem 5.619 milhões de dólares (4.631 milhões de euros) e as exportações a acumularem 2.188 milhões de dólares (1.803 milhões de euros).