Comemorações do Dia de Portugal prosseguiram em Pretória

0
46
Comemorações do Dia de Portugal prosseguiram em Pretória

Na romagem ao monumento a meio da manhã, de quinta-feira, 8 de Junho, a que marcaram presença nesse acto cívico, o embaixador Ricoca Freire, o conselheiro da embaixada Eduardo Rafael, o coordenador das celebrações na cidade de Pretória, Samuel da Silva, o frei Gilberto Teixeira e o seu colega Lameque André Michangula, da Igreja de Santa Maria, o casal de comendadores Estêvão e Manuela Rosa, Paula de Castro, Helena Rodrigues, Mário Jorge, Lino Faria, Manuel José, João Serradinho, José Rodrigues e José Brunido, foram depostas coroas de flores, uma da Embaixada pelo embaixador Ricoca Freire, e outra dos Lusíadas pela sua presidente Paula de Castro, entoado em coro pelos presentes o hino nacional, e declamado por Manuela Rosa o poema intitulado “Ó Mar Salgado”.

 Nas palavras que ali dirigiu, o embaixador Ricoca Freire começando por agradecer a presença de todos, este ano como afirmou com emoção redobrada ao prestar homenagem ao grande navegador Bartolomeu Dias, como frisou o homem que iniciou a primeira idade da globalização, como primeiro a passar o Cabo das Tormentas, na ligação do Oceano Atlântico ao Índico, prosseguindo:

 “Como embaixador de Portugal é esta a minha última homenagem junto a este padrão alusivo aos descobrimentos, mas queria que tives-sem a certeza que em cada Dia Nacional, a minha memória estará sempre com aqueles que aqui estão a celebrar este navegador e Portugal, e para mim muito significativo ver a comunidade de Pretória aqui representada, como a ACPP, a Casa do Benfica, “Os Lusíadas”, a Liga da Mulher Portuguesa, a Universidade Sénior Boa Esperança, e a conselheira das comunidades eleita pela circunscrição de Pretória, e a Igreja de Santa Maria, finalizando o seu improviso com esta afirmação:

 “É muito saudável ver aqui toda esta união e esta solidariedade, e todos juntos servir e engrandecer a imagem de Portugal na África do Sul, através do serviço àqueles que mais precisam, e nessa valorização especial queria agradecer o carinho e a amizade que sempre tive desta grande comunidade, sendo por último com o vinho do Porto oferecido por José Rodrigues, feito um brinde a Portugal, outro à comunidade portuguesa, e outro à memória do ofertante daquele monumento, o comendador António Braz.

 

* Recepção na embaixada

 

 Na tarde dessa mesma quinta-feira, 8 de Junho, foi na Embaixada de Portugal em Pretoria, oferecida uma recepção oficial pelo embaixador Ricoca Freire, onde estiveram presentes entidades oficiais, embaixadores de outros países acreditados na África do Sul, comendadores, jornalistas, presidentes de colectividades lusas, empresários, entidades eclesiásticas, advogados e directores de empresas, para depois de entoados os hinos nacionais da África do Sul e Portugal pela “SAPS Tshwane Band”, foi pelo embaixador Ricoca Freire, começando por se dirigir em inglês, dadas as pessoas de várias nacionalidades e entidades oficiais deste e doutros países que ali conviviam, depois de se referir aos últimos cinco anos em que ajudou a melhorar as relações entre Portugal e a África do Sul, tanto nos campos económico e sociais, como em liberdade de direitos humanos e todas as formas de discriminação, para no caminho rumo ao futuro o pla-neamento em sectores económicos, educação, ciência e tecnologia, com a indicação de que o governo português aprovou uma resolução nos campos científicos e tecnológicos, a serem observados e depois postos em prática em todos os países onde estão a ser praticados.

 Ao agradecer à África do Sul todo o apoio e colaboração á iniciativa portuguesa do  “AIRC” – Atlantic International Research Centre -, onde pretendemos desenvolver novas tecnologias científicas no Oceano Atlântico, especialmente em toda a costa das nossas ilhas, onde para este fim a ministra da Tecnologia sul-africana, Naledi Pandor, esteve nos Açores, a participar num congresso de alto nível visando os sectores da ciência, indústria e tecnologia, como fundamentais da “AIRC”, referindo mais à fren-te:

 Esta mesma entidade sul-africana estará em Lisboa no mês de Julho de 2018 para participar numa outra reunião de alto nível da “AORA”, Atlantic Ocean Research Aliance, iniciativa essa que envolve também os governos sul-africano e brasileiro.

 Referindo-se à economia e à estabilidade existente na actualidade, sente-se optimista com as relações entre Portugal e a África do Sul, que neste campo comercial, Portugal atingiu recorde em exportações, de 150 milhões de euros, ultrapassando em importações os 300 milhões.

 No campo de investimento Portugal também mostrou um grande interesse no potencial do mercado sul-africano, nomeadamente nas áreas de construção, automóvel e outras, aonde certas companhias portuguesas já abriram escritórios em Gauteng, para em coordenação explorar o mesmo potencial em toda a África abaixo do deserto do Sahará, e neste projecto envolvendo também comerciantes sul-africanos.

 Reconhecendo também o sucesso existente entre a “GGDA”, Gauteng Government Development Agency, e a Agência Portuguesa de “Trade & Desenvolvment”, Ricoca Freire enalteceu também em investimento, o apoio dado nesse âmbito pela Câmara de Comércio Português na África do Sul.

 Abordando o ensino de português, o embaixador referiu que devido à importância da língua portuguesa nos vários sectores, Portugal alargou a colaboração com escolas em universidades, ministérios, governos provinciais e outras instituições sul-africanas, onde o Instituto Camões tem hoje dezoito professores profissionais em língua portuguesa nas mais de 60 escolas sul-africanas, primárias e secundárias nas áreas do Cabo, Durban, Joanesburgo incluindo o Soweto, Pretoria e Vanderbijlpark, em que mais de dois mil alunos sul-africanos participam nas aulas de português que ali são minis-tradas.

 Neste campo Portugal também está a desempenhar programas de cooperação com as universidades de Pretoria, Witwatersrand, Cape Town, Durban e Mpumalanga, onde esperamos qualificar professores, tradutores e interpretes em língua portuguesa, pois como diz o ditado a língua portuguesa é tão grande como os oceanos, sendo a mesma oficial em cinco paí-ses de África, e várias organizações africanas.

 Depois de realçado todo o fortalecimento das relações entre Portugal e a África do Sul, e enaltecendo os valores comuns na construção e solidificação da paz, segurança, liberdade, democracia, desenvolvimento e direitos humanos, como base na constituição dos dois países, o embaixador Ricoca Freire dirigiu-se em português aos concidadãos que ali conviviam, nestes termos:

 “Queridos compatriotas da comunidade portuguesa na África do Sul, ao terminar este ano o meu posto de embaixador na África do Sul, é com redobrada emoção que me dirijo a todos vós na festa do nosso Dia Nacional, para vos dizer quanto me orgulho e quanto vos estou grato pelo vosso amor e a vossa ligação a Portugal, manifestado de tantas diversas maneiras.

 Orgulho-me também da vossa ligação e leal contri-buição para a África do Sul como vosso segundo país e onde tão bem servem a imagem de Portugal e os seus valores fundamentais.

 Queria numa tónica mais pessoal agradecer toda a confiança que sempre em mim depositaram, todo o apoio e carinho que sempre me deram, e fizeram com que a comunidade portuguesa na África do Sul, em Pretoria, em Joanesburgo, em Durban e na cidade do Cabo fossem extensões para mim de Portugal, e porque não dizê-lo extensões da minha família.

 Mais à frente, Ricoca Freire estendeu os seus agradecimentos ao seu team na embaixada, de igual modo ao consulado-geral em Joanesburgo e Cape Town, pela leal dedicação e colaboração, enquanto por outro lado se mostrou grato a quem consigo organizou esta recepção, com um obrigado à Polícia sul-africana pela entoação ali, dos hinos nacionais da África do Sul e Portugal, e entretenimento durante a tarde, com a boa música”.

 Seguidamente foi dada a palavra ao director-chefe da Presidência do Governo Sul-Africano, Stanley Ntakumba, que começando por a todos saudar e agradecer as pala-vras dirigidas à sua pessoa e ao seu país pelo embaixador de Portugal, e o sucesso das várias parcerias entre os dois países, congratulando a comunidade portuguesa, que estimou em mais de seiscentos mil na África do Sul, pelo contributo que dão em prol do desenvolvimento deste país, nos seus 23 anos de amizade e democracia, esperando que no futuro continuem a ser mantidas as boas relações entre os dois países, e a visita prevista pelo presidente Zuma a Portugal em 2018, contribua para o fortalecimento das relações bilaterais entre ambos os países, continuou:

 Com o ano de 2017 a marcar o centenário do nascimento de Oliver Reginaldo Tambo, considerado libertador patriótico e fundador da democracia na África do Sul em 1993, realçando por outro lado o aumento de transacções entre os dois países, de 4.2 biliões de randes em 2015, e de 5.1 biliões em 2016, englobando nesse prisma a participação de firmas como Mota-Engil, Efacec, Vivian Regina, Sodecia, Grupo Procme e Para-mount Powerlines, enquanto por outro felicitou Portugal pelo alto cargo de António Guterres como secretário-geral das Nações Unidas, e Cristiano Ronaldo enquanto melhor futebolista na actualidade, daí ser considerado de Rei da Europa, propondo a terminar a sua intervenção debaixo de fortes aplausos dos presentes, ao embaixador Ricoca Freire um brinde pelas prosperidades futuras da África do Sul e de Portugal, assim como pelo fortalecimento de amizade entre as populações dos dois países.