Comemorações do Dia de Portugal na Cidade Cabo

0
116
Comemorações do Dia de Portugal na Cidade Cabo

As comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, na Cidade do Cabo, tiveram lugar no passado dia 14 de Junho nas  instalações da Associação Portuguesa do Cabo da Boa Esperança.

 A Academia do Bacalhau do Cabo, em conjunto com as demais associações comunitárias, organizaram o jantar que foi servido a mais de 250 participantes, entre compadres, comadres  e convidados de honra, sendo de destacar o elevado número de representantes do corpo diplomático em exercício naquela cidade.

 À chegada, os convivas foram recebidos por membros do grupo folclórico “Bailinho”, vestidos a rigor com trajes populares portugueses, a quem serviram um Porto de boas vindas.

 O cônsul-geral de Portugal na Cidade do Cabo, Jorge Teixeira de Sampayo, disponibilizou-se para dar as boas-vindas, expressando uma calorosa recepção aos seus 28 convidados do corpo consular acreditados naquela cidade.

 A mesa de honra, decorada ao centro com  escudo da Bandeira Portuguesa, contou com cerca de 40 convidados. Entre eles os cônsules-gerais de Angola, Espanha, França,  Roménia, Brasil, Japão, Moçambique, Alemanha, Eslovénia, cônsul e vice-cônsul da República Popular da China, cônsules honorários da Colômbia e Maurícias.

 Estiveram também presentes Nora Groose, conselheira de City of Cape Town (Ward 23), comadre  Lígia Fernandes, conselheira da Comunidade para a Secretaria do Estado das Comunidades, além de dirigentes associativos.

 Numa iniciativa louvável da Liga da Mulher, foi anexada uma  exposição com motivos históricos alusivos aos descobrimentos, bem assim como artefactos de carácter cultural portugueses.

 A noite de gala começou com os hinos nacionais da África do Sul e Portugal, cantados em uníssono pelos presentes.

 O presidente da Academia do Bacalhau da Cidade do Cabo, Rui Santos, abriu formalmente o jantar, dando as boas vindas e badalando o sino para o primeiro Gavião de Penacho da noite. De seguida, foi servida  a famosa  sopa de “chora” tradicional  dos navios da pesca do bacalhau.

 Antes do prato principal o cônsul-geral de Portugal no Cabo, Jorge Teixeira de Sampayo, tomou a palavra, agradeceu aos presentes a sua comparência, enalteceu os valores da nossa comunidade, elogiando também a Academia, a segunda mais antiga do mundo, pelo evento.

 A noite já transbordava de calor humano quando foram chamados ao palco os sete jovens estudantes contemplados com ajuda financeira aos seus estudos.

 Lígia Fernades, membro do júri das bolsas de estudo e conselheira da Comunidade, explicou a origem do fundo monetário exortando os estudantes ao bom uso das quantias atribuidas e desejando-lhes os melhores sucessos nas suas carreiras.

 Copos reabastecidos, Gavião de Penacho cantado pela voz do compadre César Santos e o tão esperado “Bacalhau Escondido” foi servido.

 65kg de bacalhau gratinado ao forno, guarnecido com lagosta do Cabo, um supremo estufado de bacalhau em azeite perfumado com alhos, louro, estufado em cebola, pimentos, refrescado com vinho branco e escondido sob um manto branco de puré de batata.

 Os pratos foram decorados com meias rodelas de pimento verde e vermelho em homenagem à bandeira portuguesa. Delicioso, o melhor de sempre, foram as opiniões gerais no final do repasto.

 Um Bacalhau fantástico que encantou a tertúlia.

 O pano subiu e os projectores acenderam-se para mostrar um palco  cheio de cor e instrumentos.

 Nele, estavam os músicos do tradicional  grupo folclórico “Bailinho” que abrilhantou com temas populares do grupo de Santa Marta de Portuzelo.

 Antes do terceiro e último Gavião o presidente Rui Santos agradeceu os 65 kg de bacalhau, gentilmente oferecidos,  e as pessoas que tornaram possível o pomposo evento, com especial destaque ao líder da Associação Amigos Portugueses, Carlos Aguiar.

 Em seguida, e em tom de despedida, o presidente da Academia  convidou o cônsul-geral do Brasil, dr. Carlos Alberto Asfora, a usar da palavra, o qual endereçou uma mensagem de carinho e simpatia à comunidade portuguesa.

 O grupo musical Kanimambo  iniciou a sua actuação  tocando um estrondoso êxito musical de Nelson Ned, “E tudo Passa” pela voz de Carlos Aguiar, convidando desta formaos os presentes à pista e assim divertirem pela noite dentro.

 Os fundos adquiridos nesta inesquecível noite alusiva ao Dia de Portugal no Cabo reverteram a favor das obras de renovação da Associação Portuguesa do Cabo da Boa Esperança.