Colaborar foi palavra de ordem na festa promovida pelos Lusíadas na Igreja de Santa Maria Pretoria

0
50
Colaborar foi palavra de ordem na festa promovida pelos Lusíadas na Igreja de Santa Maria em Pretoria West

Para angariação de mais alguns fundos que lhe permitam continuar a ajudar os mais necessitados da comunidade que a ela recorrem pedindo auxílio, a Associação de Bem-Fazer “Os Lusíadas” promoveu no penúltimo do-mingo, 5 de Maio, no salão da Igreja de Santa Maria dos Portugueses, em Pretoria West, um almoço de convívio servido a mais de trezentas pessoas, entre as quais os comendadores Salvador Pais Pereira, Frei Gilberto Teixeira e Ivo de Sousa, e os presidentes, da Academia do Ba-calhau, João Serradinho; o da Casa Social da Madeira, Miguel Carreira; o da Casa do Benfica, Lino Faria; e a da Liga da Mulher Católica pertencente a esta mesma igreja, Lina Pereira.

 Com a apresentação das actividades a cargo do mestre-de-cerimónias Carlos Calado, música da “DJ Vix” e actuação de Victor Tavares, o convívio incluiu uma elegante passa-gem de modelos organizada pela estilista Silvina Pardal, com a colaboração de Bianca Pardal e Nicole Pardal Pausen, em que na apresentação de vestidos de noite, de ce-rimónias e de casamento, desfilaram as modelos Mishka Esmail, Aamarah Tayob, Daniella Alves, Pemola Azevedo, Megan Alves, Sandy Correia, Chanel Correia, Chery e a infantil Halima Amod, certame conduzido por Paula de Castro e Micaela dos Santos.

 Para os agradecimentos às presenças ali nessa tarde, e se mostrar reconhecida aos que de qualquer modo a ajudaram na organização desta festa, Paula de Castro ao fazer um pequeno resumo do que tem sido a função dos Lusíadas em ajudas concedidas a pessoas necessitadas, face às grandes dificuldades que de momento algumas famílias da nossa comunidade enfrentam, reflectidas nos constan-tes pedidos de ajuda, destacando alguns dos que ultimamente têm sido pedidos à instituição a que preside, daí e para continuar a apoiar casos de extrema necessidade, precisar do apoio de todos.

 Elogiando o espírito de solidariedade ali vivido neste dia a favor de quem precisa, dificuldades que infelizmente ninguém está livre de enfrentar, Paula de Castro lembrou te-rem “Os Lusíadas” sido formados há mais de trinta anos, em princípio para ajudar os refugiados que diariamente aqui chegavam sem nada, e mais tarde a pessoas idosas, mas que com o andar dos tempos se estendeu a carenciados de todas as idades, desde que o justifiquem, daí e

 com o agravar dos tempos, infelizmente cada vez mais difíceis, apelar à generosidade dos compatriotas no apoio à instituição, pois só de mãos dadas e em espírito de ajuda colectiva poderemos ajudar todos os que enfrentam grandes dificuldades nas suas vidas.

 São efectivamente gestos como os que presenciámos nesta festa promovida pelos Lusíadas no salão da Igreja de Santa Maria, desde donativos como o oferecido pelo comendador Salvador Pais Pereira, oferta da Meat 2 Oceans de todos os mantimentos para a confecção do almoço, actuações de Victor Tavares e da “DJ Vix”, disponibilidade de Manuel José para o leilão que ali fez nessa tarde, de Carlos Calado na tarefa de mestre-de-cerimónias, e de Silvina Pardal para a elegante passagem de modelos proporcionada sem encargos para a organização, à oferta dos prémios para a rifa ali sorteada, que dão ânimo aos membros lusíadas para conti-nuar na tarefa de ajuda ao próximo em dificuldades.

 No sorteio da rifa que por último ali foi realizada, foram contemplados, com o primeiro prémio, uma televisão a cores oferecida por Tony de Sousa Alegria, o número 126, e o segundo prémio uma caçada de gazela no “Red Rock Ranch” de João Serradinho, o número 0575, ambos adquiridos por Carlos Basílio e Rui Dias, que num gesto simpático ofereceram esse televisor à Igreja de Santa Maria, e o terceiro pré-mio, um Printer HP a Jaime de Caires com o número 1174.