Ciclistas do Luso África ligam Joanesburgo a Maputo em jornada de solidariedade

0
58
Ciclistas do Luso África ligam Joanesburgo a Maputo em jornada de solidariedade

A caravana de ciclismo do  Luso África partiu quarta-feira, de manhã, pelas 8 horas, rumo à aventura, de voltar ligar, pela sétima vez, as cidades de Joanesburgo e Maputo.

 Às seis e meia da manhã era grande a azáfama na sede do clube, com a chegada dos ciclistas, dos carros de apoio bem como dos géneros alimentícios para a viagem e todo o equipamento para enfrentar durante quatro dias, os 685 quilómetros de estrada.

 Momentos antes da partida, realizou-se no salão nobre da colectividade, uma reunião/-convívio, que contou com a presença da Consul Geral de Portugal em Joanesburgo, Drª Luísa Fragoso, José Manuel Sampaio, presidente da Academia do Bacalhau de Joanesburgo e outros convidados.

 Durante este evento usou da palavra, Emília Abrantes, relações públicas da compe-tição, que na sua  intervenção aproveitou para dar as boas vindas a todos os presentes na sala e a traços, dar uma idéia do que seria esta viagem de bicicleta, em que o intuito principal não é chegar primeiro à meta, mas angariar fundos, que serão distribuídos pelas obras de caridade do Maputo.

 A Consul Geral de Portugal em Joanesburgo, Drª Luísa Fragoso, durante a sua breve intervencão, afirmou a certo passo:

 “Sinto-me orgulhosa por poder marcar aqui a minha presença e verificar que esta co-lectividade, continua a interessar-se pelo bem estar dos carenciados. Quero desejar boa sorte nesta longa viagem que está à vossa frente. Boa sorte”!

 Em seguida José Manuel Sampaio, presidente da Academia do Bacalhau de Joa-nesburgo, disse: 

 “É para mim uma honra estar presente nesta grande aventura, do departamento de ci-clismo do Luso África. Como presidente da Academia do Bacalhau, é com todo o pra-zer que a nossa “Casa”, dá o seu patrocínio a um evento desta natureza.

 Os ciclistas, pelo caminho, podem contar com o apoio dos nossos compadres em Nelspruit e à chegada a Maputo. Para cimentar a nossa amizade, após o vosso re-gresso, gostaria de contar com a vossa visita à Academia do Bacalhau para mo-mentos de convívio. Como portugueses, temos de estar sempre unidos e sinto-me honrado pela Vossa dedicação ao próximo.”

 O presidente do Luso África, Tony Azeredo aproveitou a ocasião da sua intervenção para dizer: “Boas vindas às entidades oficiais e aos nossos convidados. O Luso África sente-se honrado com a vossa presença. Quero agradecer à Academia do Bacalhau, e a presença do seu ilustre presidente José Manuel Sampaio e o seu patrocínio.

 Aproveito a ocasião para agradecer a todos os nossos patrocinadores que tornaram possível esta aventura, de ligar por bicicleta, as cidades de Joanesburgo e Maputo.

 Esta é a sétima vez que contamos com a vossa preciosa ajuda. Para o ano cá estaremos outra vez”.

 Por último falou Joaquim Melo, director da prova.

 Tocou em assuntos relacionados  sobre problemas técnicos e conselhos aos ciclistas sobre os carros de apoio.

 Seguiu-se a sessão de fotografias do grupo dos elementos ligados ao ciclismo, a foto do pelotão de ciclistas e evidentemente a partida.

 Junto aos portões principais, do Luso África aguardava uma escolta de “motards” que serviu de protecção aos ciclistas até atingirem a estrada principal.

 Pela frente, os indomáveis ciclistas, enfrentaran os 685 quilómetros de estrada e quatro dias a pedalar até atingir a meta em Maputo.

 A partir da fronteira, de Ressano Garcia  contaram com a companhia dos ciclistas  moçambicanos até à cidade de Maputo, bem como de uma escolta da polícia de trânsito de Moçambique, que acompanhará a caravana.

 No domingo  participaram num circuito internacional no  bairro  de Sommershield.